Seis acusados de ligação com assalto a banco em Criciúma são soltos

Eles serão submetidos a medidas cautelares como o uso de tornozeleiras eletrônicas. Soltura ocorre quase um ano após crime

atualizado 27/11/2021 9:11

Madrugada de tensão e tiroteio na cidade de Criciúma, com assalto a dois bancos no centro da cidade e dissipou o medo na população. Explosivos usados para assaltoCAIO MARCELLO/AGIF/AE

Seis acusados no processo que investiga o mega-assalto à tesouraria do Banco do Brasil em Criciúma, no Sul do Estado, tiveram a liberdade provisória concedida pela Justiça. Eles são alvo no inquérito que apura o crime de organização criminosa. O roubo ocorreu em 30 de novembro de 2020.

De acordo com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Criciúma, que faz parte da força-tarefa que acompanha as investigações, apesar da liberdade, foram impostas algumas medidas cautelares. Entre elas, o uso de tornozeleiras eletrônicas.

Saiba mais no NSC Total, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias