OMS indica que cloroquina não deve ser usada para prevenir a Covid-19

A organização também pede que as pesquisas com a substância como prescrição para a doença não sejam prioridade

atualizado 01/03/2021 22:27

comprimidos em fundo azulHAL GATEWOOD/UNSPLASH

Um painel de especialistas internacionais do Grupo de Desenvolvimento de Diretrizes da OMS (GDG) publicou uma diretriz, nesta segunda feira (1º/3), na qual pede fortemente que a hidroxicloroquina não seja usada como tratamento preventivo da Covid-19.

A diretriz que foi publicada na revista científica “The BMJ” ressalta ainda que, desde julho do ano passado, a organização não tem encontrado benefícios no uso do antimalárico contra o coronavírus. Desta vez, a conclusão passa a ser uma orientação concreta e oficial para os países e profissionais de saúde.

De acordo com o documento, a recomendação é baseada em seis estudos clínicos com evidências de alto nível. Juntos, eles somaram mais de 6 mil participantes e confirmaram que o medicamento não é eficiente na prevenção contra a doença.

A OMS ainda pede que as pesquisas com a hidroxicloroquina como prescrição para a Covid-19 não sejam prioridade. O painel avalia que é importante concentrar esforços financeiros em medicamentos com mais chance de combater o coronavírus.

Sem efeito

O comitê ressalta ainda que evidências de alta certeza (que dificilmente mudarão com a publicação de novos estudos) apontam que a hidroxicloroquina não tem efeito significativo na prevenção de hospitalização e morte devido à Covid-19.

“O antimalárico também não teve efeito em evitar a infecção pelo Sars CoV-2, com evidências classificadas como moderadas (estudos clínicos com leves limitações e estudos observacionais bem delineados e com achados consistentes)”, diz o documento.

0

 

 

Últimas notícias