metropoles.com

RJ: comitê sugere volta plena às aulas presenciais e deve liberar uso de máscaras em locais abertos

Alunos precisam usar máscaras e ambientes devem ser o mais ventilados possível. Melhora na situação da pandemia motivou recomendação

atualizado

Compartilhar notícia

Altemar Alcantara/Semcom
Sala de aula vazia
1 de 1 Sala de aula vazia - Foto: Altemar Alcantara/Semcom

Rio de Janeiro – O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio) recomendou o “retorno pleno” às aulas presenciais nas redes pública e privada da capital. A informação foi divulgada na noite desta terça-feira (5/10), data em que houve reunião entre os membros do grupo.

Os especialistas levaram em conta a melhora do cenário epidemiológico no município, com o avanço da vacinação, e a queda nas taxas de transmissão do coronavírus e de internações. Segundo a prefeitura, não há pessoas na fila por leitos na rede pública.

7 imagens
Prefeito Eduardo Paes
Homem mostra comprovante de vacinação no Rio de Janeiro
Vacinação de idosos no Rio de Janeiro
Vacinação de deficientes
Um novo lote de 100 mil vacinas chega ao estado do RJ
1 de 7

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes

Rafaela Felicciano/Metrópoles
2 de 7

Prefeito Eduardo Paes

Divulgação/Prefeitura do Rio
3 de 7

Homem mostra comprovante de vacinação no Rio de Janeiro

Aline Massuca/Metrópoles
4 de 7

Vacinação de idosos no Rio de Janeiro

Aline Massuca/ Metrópoles
5 de 7

Vacinação de deficientes

Arquivo pessoal
6 de 7

Um novo lote de 100 mil vacinas chega ao estado do RJ

Bruno Menezes/Metrópoles
7 de 7

Daniel Soranz: ex-secretário da Saúde do Rio

Aline Massuca/ Metrópoles

A determinação é que, nas salas de aula, o uso de máscaras seja obrigatório e a ventilação seja a maior possível, além de a capacidade de estudantes volte a ser máxima. “Casos de evasão escolar devem ser apurados por busca ativa dos alunos, atraindo-os novamente à rotina de estudos”, disse a SMS, em nota.

Outra questão abordada foi a possibilidade de realização do Revéillon e do Carnaval 2022 sem uso de máscaras e distanciamento social. O Comitê avaliou que as festas poderão ocorrer caso a adesão à imunização continue crescente e a situação epidemiológica se mantenha favorável.

Na semana passada, o presidente da  Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Perlingeiro, afirmou que, caso não haja garantia de 100% de público na Marquês de Sapucaí no Carnaval 2022, os desfiles serão adiados para julho, devido à queda na arrecadação.

Máscaras

73% da população acima de 18 anos já tomou as duas doses da vacina no Rio de Janeiro, segundo dados do Painel Rio Covid. Em relação à população total, o índice é de 57,1%. Com isso, a prefeitura cogita suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes abertos em 15/10. A previsão é que, exatamente um mês depois, a proteção seja dispensada em todos os ambientes, exceto espaços hospitalares e transportes públicos.

Para que ambas as fases se iniciem, é preciso que, respectivamente, 65 e 75% da população esteja com esquema vacinal completo.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?