*
 

Sob a justificativa de zelar por segurança, o Supremo Tribunal Federal contratou uma área especial do embarque do Aeroporto Internacional de Brasília para uso exclusivo dos seus ministros.

Como informa o jornal O Globo, o aluguel custa R$ 374,6 mil por ano e funciona desde julho do ano passado. O novo local fica no terminal 2 do aeroporto, o que permite aos ministros esperar pelo embarque em um área reservada. Ela fica a 2 km do terminal principal.

Antes, a Corte possuía uma sala no terminal. Ali, eles conseguiam ser dispensados da fila do check-in mas na hora do embarque no portão indicado pela companhia, acabavam se juntando aos demais passageiros. Agora, quando são chamados, eles vão de van até a aeronave e o embarque é feito por uma escada lateral no finger. Assim, o ministro só encontra os demais passageiros já dentro do avião.

Em entrevista à Globonews, o ministro Edson Fachin afirmou que atualmente se preocupa não apenas com julgamentos mas também com a segurança de sua família.

Em nota, o Supremo afirmou que a nova área de embarque foi criada depois que o antigo contrato de aluguel da sala de espera do tribunal, dentro do aeroporto, venceu. A Corte diz, no entanto, que tentou se desfazer da sala sem perder as credenciais de segurança para acesso livre às áreas restritas do aeroporto, o que foi negado.