Por recomendação médica, família não irá doar órgãos de Major Olimpio

Decisão contraria a vontade da família e do próprio senador, mas está de acordo com recomendações médicas e de autoridades sanitárias

atualizado 19/03/2021 22:20

major olimpio morte covid senador politicoIgo Estrela/Metrópoles

A família de Major Olimpio (PSL-SP) afirmou, por meio do Twitter do senador, que não irá doar os órgãos do parlamentar.

A decisão contraria a vontade da família e do próprio senador, mas está de acordo com recomendações médicas e de autoridades sanitárias. Olimpio morreu nessa quinta-feira (18/3), vítima da Covid-19.

A doação de órgãos de vítimas da Covid-19 não é recomendada, conforme defendido pelo Ministério da Saúde.

A pasta emitiu, em maio de 2020, nota técnica em que se posiciona de forma contrária aos procedimentos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acompanha o entendimento da Saúde.

Morte do senador

Major Olimpio teve morte cerebral decretada nesta quinta. Ele faria aniversário neste sábado (20).

Eleito em 2018, Olimpio estava no primeiro mandato como senador. Antes, ele havia sido deputado federal por um mandato (2015-2019) e deputado estadual de São Paulo por dois (2007-2015).

O parlamentar também foi presidente da Associação Paulista dos Oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Ele nasceu em Presidente Venceslau (SP) e serviu como policial militar no estado de São Paulo por 29 anos.

Amigos e parentes do senador prestaram homenagem ao falecimento do parlamentar com uma carreata nesta sexta (19).

Veja imagens da homenagem: 

0
Participou de sessão 

O senador anunciou ter testado positivo para a doença do novo coronavírus no último dia 2. Na ocasião, ele disse estar bem, “com sintomas leves e em isolamento domiciliar”. Já no dia 3, contudo, Major Olimpio participou da sessão que discutiu a chamada PEC Emergencial, de forma on-line, de uma cama de hospital.

Segundos após ter iniciado sua fala, ele perdeu a conexão de imagem com o sistema do Senado e, diante da dificuldade de ouvi-lo, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), interrompeu a fala do senador alegando problemas com o áudio.

Duas semanas antes de ser internado com Covid-19, o senador participou de ato contra o fechamento do comércio em Bauru (SP), evento com grande aglomeração de pessoas liderado pelo empresário Luciano Hang e a prefeita da cidade, Suéllen Rosin (Patriota). Na ocasião, usava máscara.

Últimas notícias