Furar fila da vacina é “falta de solidariedade e até de caráter”, diz Mourão

Ministério Público nos estados investigam casos de imunizados contra a Covid-19 fora do grupo prioritário

atualizado 22/01/2021 11:31

O vice-presidente Hamilton MourãoHugo Barreto/Metrópoles

Na manhã desta sexta-feira (22/1), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), reforçou a necessidade de que cada grupo compareça para a imunização contra a Covid-19 de acordo com as devidas prioridades. Segundo o general, quem se acha no direito de atropelar o processo é carece de solidariedade e caráter.

“É necessário que as pessoas se conscientizem que cada um tem de comparecer de acordo com o seu grupo para ser vacinado e não atropelar o processo, isso aí denota uma falta de solidariedade e até de caráter. Se cada um avançar na hora que tá previsto, aí nós vamos chegar ao fim do ano com 150 milhões de pessoas vacinadas e numa situação bem confortável”, assinalou.

Mourão afirmou também que outros países que já começaram a campanha de imunização, como os Estados Unidos, não têm um sistema de saúde capilarizado como o Brasil.

Sobre o fato de que as nações participam de uma corrida pela vacinação, o vice-presidente pontuou que é necessário acompanhar o placar mundial.

“A corrida da vacina está causando problema no mundo inteiro, porque a quantidade de gente a ser vacinada é enorme, a quantidade de insumos produzidos não está dentro das necessidades. Então, é importante acompanhar o placar mundial de vacinação, até quarta-feira nós estávamos com 46 milhões de pessoas vacinadas no mundo inteiro”, finalizou.

Últimas notícias