Frota: Bolsonaro mandou “calar a matraca” e não falar de Queiroz

O deputado disse que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) telefonou a ele reclamando de um discurso que fizera na Câmara dos Deputados

atualizado 30/10/2019 16:05

Igo Estrela/Metrópoles

Em seu depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) disse que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) telefonou a ele reclamando de um discurso que fizera na Câmara dos Deputados, pedindo a prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) Fabrício Queiroz.

O ex-assessor é investigado sob a suspeita de ter comandado um esquema de desvio de recursos públicos, por meio de uma prática chamada “rachadinha”, na qual funcionários da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro repassavam parte de seus salários para a família de Bolsonaro.

Frota relatou que, em um evento no Palácio do Planalto, o presidente chegou a reclamar pessoalmente com ele.

“Fui a um evento no Palácio e tenho até o vídeo gravado. Ele fala: ‘Ô, Frota, cala essa matraca, porra!”, disse o deputado.

Frota contou que a ligação de Bolsonaro ocorreu logo após seu discurso pedindo a prisão do ex-assessor, respondendo a uma provocação, em plenário, do líder do PT na Casa, Paulo Pimenta (RS).

“Caí na provocação do Paulo Pimenta”, disse Frota. “Ele subiu do outro lado, eu como faixa branca, vira para a bancada do PSL e diz: ‘Quero saber se vocês, depois de todas as notícias, se alguém tem coragem de pedir a prisão do Queiroz’. Alexandre Frota caiu. Subi e pedi a prisão do Queiroz. Meu telefone tocou e era Jair Bolsonaro reclamando”, contou.

“Posteriormente a isso, 15 minutos depois, aparece o Flávio Bolsonaro, que me dá um abraço e fala: ‘Papai ficou chateado com você por você ter pedido a prisão do Queiroz’”, prosseguiu.

Últimas notícias