*
 

Em entrevista a Folha de S.Paulo, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero acusa o ministro Geddel Vieira Lima de tê-lo pressionado a produzir um parecer técnico para favorer seus interesses pessoais.

Calero revelou ao jornal que o articulador político do governo Temer o procurou pelo menos cinco vezes para que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) aprovasse o projeto imobiliário La Vue Ladeira da Barra, em uma área tombada em Salvador, onde Geddel teria um apartamento.

O ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, pediu demissão de seu cargo nessa sexta-feira (18/11). Empossado em maio, depois de uma série de negativas aos convites para a pasta feitos pelo presidente Michel Temer, Calero sai de forma surpreendente. O deputado Roberto Freire (PPS-SP) assumiu o cargo de ministro da Cultura logo após o anúncio.

Ainda segundo o jornal paulista, a Comissão de Ética Pública da Presidência vai analisar na sua próxima reunião, na segunda-feira (21/11), a informação de que o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) pressionou o antigo titular da Cultura, Marcelo Calero, para que interferisse em um empreendimento imobiliário na Bahia em que tinha interesse pessoal.

Roberto Freire afirmou neste sábado que vai respeitar a decisão técnica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão subordinado à Pasta, sobre a construção do projeto imobiliário em Salvador (BA). “Vou tomar conhecimento do fato ainda. Mas antes de tomar conhecimento, o princípio que me norteia é o técnico. Se existe um órgão técnico, é para ser respeitado na suas decisões. Se existe um órgão técnico e competente, cabe ao ministro levar em consideração e respeitar isso. Se não, quem vai colaborar com o ministro?”, afirmou Freire. “O Iphan existe; é um órgão técnico e competente para essas questões. E eu costumo respeitar os órgão técnicos”, disse.

O futuro ministro ainda elogiou a gestão de Calero a frente do Ministério da Cultura e disse que deve dar continuidade ao trabalho dele. “Não há nenhuma ruptura. Ele fez um ótimo trabalho. Não está saindo com nenhum problema do ponto de vista político e administrativo. Vamos conversar com ele. Tem muito mais de continuidade do que qualquer mudança”, afirmou Roberto Freire.

Com informações da Agência Estado

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação

Leia mais: Política