Bolsonaro anuncia major da reserva da PMDF para Secretaria-Geral

Nome de Jorge Antonio de Oliveira Francisco foi informado nas redes sociais. Floriano Peixoto deixa cargo e assume presidência dos Correios

Assessoria da PresidênciaAssessoria da Presidência

atualizado 21/06/2019 14:04

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesta sexta-feira (21/06/2019), nas redes sociais, o nome de major da reserva da Polícia Militar Jorge Antonio de Oliveira Francisco para o cargo de ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência.

O posto era ocupado pelo general Floriano Peixoto. Ao falar sobre Floriano, o chefe do Executivo nacional declarou: “Segue gozando de nossa total confiança em seu trabalho e dedicação, assumirá a presidência dos Correios“.

A decisão de exonerar mais um general do primeiro escalão do governo foi divulgada nessa quinta-feira (20/06/2019). Já a demissão do presidente dos Correios, o também general Juarez Cunha, foi anunciada na semana passada, em café da manhã do presidente com jornalistas.

Após o comunicado no Twitter, Bolsonaro fez um pronunciamento no Palácio do Planalto. O mandatário da República elogiou o novo ministro e enfatizou que ele é uma pessoa de confiança, além de estar qualificado para o cargo.

“Jorge Oliveira é advogado com passagem de major no DF, é uma pessoa que me acompanha há mais de 10, 15 anos. O pai dele me acompanhava também. Tem muito afeto à burocracia. É uma missão difícil ser prefeito do Planalto. Desejo boa sorte, felicidades e, mais do que isso, temos confiança no trabalho dele como tínhamos no Peixoto também”, comentou.

O novo ministro contou que vai continuar com o papel jurídico desempenhado no Planalto, somado às obrigações como secretário-geral da Presidência. O anúncio foi muito bem visto pelo Palácio do Buriti, que vê no militar brasiliense ponto importante de apoio aos pleitos locais, entre eles a paridade salarial entre a Polícia Civil do DF e a PF. O projeto está parado no Executivo federal desde fevereiro. O GDF também negocia com os policiais militares um reajuste, que também vai precisar passar pelo Planalto e ser votado no Congresso. Ambas as forças de segurança são pagas com recursos da União.

 

Cargo próximo
No discurso, Bolsonaro deixou o Executivo federal à disposição de Floriano, caso ele queira ocupar algum cargo próximo. O ex-ministro agradeceu, mas disse ter uma “missão” a ser cumprida como novo presidente dos Correios. “Vamos resgatar a credibilidade e fortalecer desenvolvimento financeiro da instituição”, frisou.

O ex-ministro afirmou estar contente por ser considerado pelo presidente um “coringa”. “Sou um soldado paraquedista e estamos acostumados com desafios”, salientou.

Para Peixoto, o major da reserva da PMDF Jorge Antonio de Oliveira é qualificado para o posto. “Eu entendo que, pela capacidade e engajamento dele, vai dar continuidade às ações da secretaria, que continuará acima de qualquer interesse”, destacou.

Últimas notícias