Polícia apura se falha nos freios ou ultrapassagem causou acidente em SP

A delegada responsável pelo caso, Camila Rosa Alves, disse que os envolvidos ainda não foram ouvidos formalmente

atualizado 26/11/2020 15:16

Rafaela Felicciano/Metrópoles

A Polícia Civil informou, nesta quinta-feira (26/11), que apura duas linhas de investigação para determinar as causas do acidente que matou 41 pessoas em Taguaí (SP): tentativa de ultrapassagem em local proibido ou falha nos freios. As informações são do G1. 

A delegada responsável pelo caso, Camila Rosa Alves, disse que os envolvidos ainda não foram ouvidos formalmente. “Os policiais se anteciparam e colheram as versões de forma informal. No local dos fatos era muito evidente que o ônibus havia invadido a contramão”, explicou.

Falha nos freios

O motorista do ônibus contou, segundo a delegada, que seguia na pista quando avistou um outro veículo, possivelmente um caminhão, que estava mais devagar. Ao tentar frear, percebeu que os freios do ônibus não funcionavam e, para evitar uma colisão, invadiu a pista contrária. Em seguida, foi atingido por outro caminhão.

Um dos passageiros que sobreviveu ao acidente confirmou a versão do motorista. “Nosso ônibus estava indo e não sei se falhou o freio quando chegou perto desse que estava muito devagar. O motorista tirou [o veículo da pista] e nisso veio a carreta contra”, disse Elian Marcos.

A delegada Camila informou ainda que conversou com o motorista do veículo da frente, que estaria com a velocidade reduzida. Ele confirmou que estava devagar, disse que ouviu o barulho da frenagem e, em seguida, a colisão.

Ultrapassagem proibida

Outra versão contada por sobrevivente do caminhão é de que o ônibus teria invadido a pista durante uma ultrapassagem e o caminhoneiro não teria conseguido frear a tempo, jogando o veículo na direção de uma propriedade rural no acostamento na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho.

 

0

 

Últimas notícias