metropoles.com

PF achou com Cid vídeo de reunião de “dinâmica golpista” com Bolsonaro

Reunido com ministros em julho de 2022, o então presidente Jair Bolsonaro atacou as eleições e falou sobre usar “seu Exército”

atualizado

Compartilhar notícia

Igo Estrela/Metrópoles
Foto colorida de Bolsonaro com mãos nas cabeça e fundo da bandeira do Brasil
1 de 1 Foto colorida de Bolsonaro com mãos nas cabeça e fundo da bandeira do Brasil - Foto: Igo Estrela/Metrópoles

A Polícia Federal (PF) tem um vídeo de um reunião em julho de 2022 em que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) questiona as urnas eletrônicas e fala de opções em caso as pesquisas se confirmassem e o petista Luiz Inácio Lula da Silva ganhasse as eleições, como de fato ocorreu. A gravação foi encontrada em um computador apreendido na residência do tenente-coronel Mauro Cid, ex-chefe da ajudância de ordem de Bolsonaro, em uma operação anterior da PF.

Essa reunião, indicam os dados da PF, aconteceu no dia 5 de julho de 2022, antes das eleições presidênciais em que Bolsonaro perdeu para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O vídeo foi citado em documentos da operação da PF desta quinta-feira (8/2), que cumpriu mandados de prisão e busca de suspeitos de arquitetar a tentativa de golpe.

“Hoje me reuni com o pessoal do WhatsApp, e outras também mídias do Brasil. Conversei com eles. Tem acordo ou não tem com o TSE [Tribunal Superior Eleitoral]? Se tem acordo, que acordo é esse que tá passando por cima da Constituição? Eu vou entrar em campo usando o meu Exército, meus 23 ministros”, diz Bolsonaro, em trecho do diálogo transcrito pela PF.

Na decisão que autorizou a operação deflagrada nesta quinta, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, escreveu que a reunião “nitidamente, revela o arranjo de dinâmica golpista no âmbito da alta cúpula do governo”.

Vários ministros estavam presentes nessa reunião, como o então ministro da Justiça, Anderson Torres, o então chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno e o ex-chefe da Casa Civil, Braga Netto, que seria candidato a vice na chapa de Bolsonaro.

“Nós vamos esperar chegar 23, 24 (anos de 2023 e 2024), para se foder? Depois perguntar: porquê que não tomei providência lá atrás? E não é providência de força não, caralho! Não é dar tiro. Ô Paulo Sérgio [então ministro da Defesa], não vou botar a tropa na rua, tacar fogo aí, metralhar. Não é isso, porra!”, declarou ainda Bolsonaro na gravação.

Cobrança de ministros

Segundo a PF, na reunião houve a cobrança para que os ministros tivessem uma conduta ativa de ataque à Justiça Eleitoral. Essa narrativa serviria para manter forte entre apoiadores a narrativa de fraude eleitoral.

“Daqui pra frente quero que todo ministro fale o que eu vou falar aqui, e vou mostrar”, disse ainda Bolsonaro no vídeo, segundo a PF. O material em vídeo não foi disponibilizado até o momento.

Ainda durante a reunião, diz ainda a PF, Bolsonaro faz várias acusações falsas contra o então candidato Lula, como as de que há envolvimento do petista com o narcotráfico ou com a execução do Celso Daniel.

Questionamento das urnas

Na mesma reunião, Bolsonaro cita pesquisa DataFolha em que Lula aparece com chances de ganhar as eleições e sugere que o resultado já está nos ‘computadores do TSE’.

“As pesquisas estão exatamente certas. De acordo com os números que estão dentro dos computadores do TSE. Né?”, diz o presidente, segundo o relato.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações