Padre Marcelo comemora canonização de Dulce: “Chama da esperança”

O religioso escreveu um depoimento emocionado um dia antes de o Papa Francisco celebrar a missa que torna a brasileira santa

Divulgação

atualizado 12/10/2019 10:48

O padre Marcelo Rossi escreveu um depoimento emocionado em homenagem à cerimônia de canonização de Irmã Dulce. Neste domingo (13/10/2019), o Papa Francisco celebra, na Cidade do Vaticano, a missa que tornará a brasileira santa.

“Este domingo será para nós um dia especial. Ficará marcado na história da nossa Igreja e do nosso país”, destaca no texto. O padre escreveu o depoimento ao jornal carioca Extra.

Padre Marcelo diz que Irmã Dulce, que se tornará Santa Dulce dos Pobres, faz parte de “um grupo iluminado de seres humanos, que vêm à terra mostrar a todos que o amor, a caridade e a compaixão transformam a tudo e a todos”.

O padre esteve em maio de 2009 na missa solene em homenagem ao título de venerável, concedido à Irmã Dulce pelo Vaticano, dando início ao processo de beatificação, que culminaria na canonização.

“Pessoas como Irmã Dulce, São Padre Pio, Madre Tereza, entre outras, acendem a chama da esperança em um mundo melhor, com palavras, ensinamentos, mas, principalmente, através de trabalho, muito trabalho. Dedicando suas vidas à realização de ações de auxílio aos mais necessitados”, pondera o padre.

O padre prossegue. “Como não louvar uma pessoa como Irmã Dulce? Que com apenas 13 anos, passou a acolher moradores de rua enfermos em sua própria casa. Que dedicou toda a sua existência em benefício de seus semelhantes mais carentes. Que durante anos foi edificando um legado, concretizado na Associação das Obras Sociais Irmã Dulce, que completa 60 anos de trabalhos e realizações humanitárias“, ressalta.

Para o religioso, Irmã Dulce é profundamente inspiradora. “Sua forma de ver o mundo amplia nossa visão e nos mostra que o ato de estender a mão ao próximo desenvolve pessoas, transforma vidas e constrói um mundo melhor”, finaliza.

Últimas notícias