Menina estuprada pelo tio aceita proteção e terá nova identidade

Sob os cuidados da avó, a criança deixou o hospital em Recife após interromper a gravidez e tem paradeiro desconhecido

atualizado 20/08/2020 15:05

GOOGLE/ STREET VIEW

A família da menina de 10 anos estuprada pelo tio aceitou participar do programa de apoio a vítimas de violência, que inclui mudança de endereço e de identidade, oferecido pelo governo do Espírito Santo.

Nessa quarta-feira (19/8), a família foi convidada a participar dos programas de Apoio e Proteção às Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vítimas da Violência (Provita) e de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM), ambos do Sistema Estadual de Proteção a Pessoas Ameaçadas, gerenciado pela Secretaria de Direitos Humanos do estado. Porém, a participação só poderia ocorrer com a confirmação de interesse da vítima.

Entre as possibilidades oferecidas pelo benefício, estão a troca de endereço, identidade e promoção da segurança da família e da criança. Porém, caberá à vítima escolher o que mais será preciso, devido ao tipo da agressão sofrida. Os programas têm duração de dois anos e podem ser renovados pelo mesmo período. Atualmente, a menina mora com a avó. Ela é órfã de mãe e o pai está preso.

A menina passou por um aborto no último fim de semana, após engravidar do tio. O procedimento foi feito em Recife (PE) após o hospital no Espírito Santo alegar motivos técnicos para não interromper a gravidez. Ela recebeu alta na manhã dessa quarta-feira (19/8) e, segundo a equipe médica, estava bem e feliz.

O paradeiro da menina, que chegou a ser perseguida e agredida verbalmente por grupos de religiosos contrários ao aborto, não foi informado.

0

Últimas notícias