Lobista alvo da CPI patrocina post no Twitter para dizer que está doente

A Justiça autorizou a condução coercitiva de Marcos Tolentino caso ele não se apresente à CPI nesta terça-feira (14/9)

atualizado 13/09/2021 22:00

post patrocinado por marcos tolentinoReprodução/Twitter

O empresário Marcos Tolentino Silva tem se esforçado para escapar de prestar depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, no Senado. Ele já se internou num hospital em São Paulo sentindo formigamentos na véspera da primeira marcação do depoimento, no início de setembro, e tentou medidas no STF para ficar calado (conseguiu) e até para faltar à convocação (pedido foi negado).

Nesta segunda-feira (13/9), aliás, a Justiça Federal do Distrito Federal autorizou a CPI da Covid-19 a solicitar a condução coercitiva de Tolentino, caso ele não compareça ao depoimento no colegiado marcado para esta terça (14/9).

Toletino é apontado como sócio oculto da Fib Bank — empresa que emitiu carta de fiança em nome da Precisa Medicamentos nas tratativas pela venda da Covaxin ao Ministério da Saúde.

Também nesta segunda, o empresário, que é amigo do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), também investigado pela CPI, e apontado como lobista da Precisa Medicamento, usou uma conta recém-criada no Twitter para se queixar de suas condições de saúde.

Em uma série de postagens, ele conta como ficou mal por causa da Covid-19, foi intubado e achou que ia morrer. “Já estava em outra dimensão quando veio uma luz e com memórias e imagens ouvia vozes do meu pai ‘LUTE MEU FILHO!'”, escreveu ele, que alega sofrer com sequelas da doença.

O empresário então postou imagens de si mesmo no hospital. Como não é nenhuma celebridade nas redes, porém, Tolentino não viu seus posts viralizarem. Resolveu, então, pagar ao Twitter para que a postagem fosse distribuída a mais gente. Veja a postagem promovida:

O selo “Promovido” mostra que o autor pagou para impulsionar o conteúdo

Após internautas perceberem que o conteúdo foi impulsionado artificialmente e começarem a marcar senadores membros da CPI na postagem, o selo de “Promovido” foi retirado do post pelo autor.

Como todo internauta sabe, no entanto, o print é eterno.

Últimas notícias