Palocci deixa a prisão em Curitiba para cumprir domiciliar

Ex-ministro dos governos petistas que detonou Lula e Dilma em delação deixa a sede da PF em Curitiba para colocar tornozeleira eletrônica

atualizado 29/11/2018 17:36

Antonio Cruz/Agência Brasil

Antônio Palocci Filho deixou a prisão na tarde desta quinta-feira (29/11), na sede da Polícia Federal em Curitiba, o berço da Operação Lava Jato. Ele passará na sede da Justiça Federal para ter instalado o equipamento de monitoramento judicial em seu tornozelo e volta para casa.

O ex-ministro da Fazenda e ex-ministro da Casa Civil dos governos petistas, que detonou o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em sua delação premiada, passará para o regime prisional semiaberto domiciliar, sob monitoramento dois anos e três meses depois de ser preso, condenado a 9 anos e 10 dias de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Às 10h55 o sistema eletrônico processual da 12ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, responsável pela execução provisória da pena de Palocci, registrou o recebimento da ata da sessão de julgamento dessa quarta-feira (29) do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) – a segunda instância da Lava Jato –, em que foram concedidos os benefícios ao ex-ministro dos governos Lula e Dilma previstos em sua delação premiada, fechada com a Polícia Federal. O principal deles, o direito de deixar a cadeia, em Curitiba, onde está encarcerado desde setembro de 2016.

Últimas notícias