metropoles.com

“Inocente”, diz ex-senador Telmário Mota sobre suspeita de assassinato

Ex-senador é suspeito de ser o mandante do assassinato da ex-mulher e mãe da filha dele. Ele foi preso nessa segunda-feira, em Goiás

atualizado

Compartilhar notícia

Edilson Rodrigues/Agência Senado
Telmário Mota
1 de 1 Telmário Mota - Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Goiânia – O ex-senador de Roraima Telmário Mota, preso na noite dessa segunda-feira (30/10) em Nerópolis, na região metropolitana da capital goiana, suspeito de ser o mandante do assassinato da ex-mulher e mãe da própria filha, assegurou à polícia que é inocente.

De acordo com o delegado à frente do caso em Goiás, André Fernandes, o político falou com a corporação no momento da prisão. Ele era considerado foragido, mas foi detido, após fugir para Goiás.

“Ele afirmou que é inocente, que essa versão apresentada pela polícia de lá [Roraima] não procede e não tem provas”, disse o delegado ao portal G1.

0

Prisão

Telmário Mota foi preso em uma residência. Segundo a polícia, o ex-senador usou um voo comercial para chegar a Brasília e ônibus para Goiás. “A gente já tinha a casa que ele estava, ficamos de cumprir o mandar de prisão hoje no período da manhã, só que quando o coronel foi até o local para mandar a localização para equipe que ia fazer a campana, Telmário estava chegando em casa”, detalhou o delegado.

Ainda à corporação, Telmário disse que chegou a Goiás na última quinta-feira (26/10) e estava escondido na casa de uma amiga. A prisão aconteceu após uma troca de informações entre a Polícia Militar (PM) e a Polícia Civil (PC).

Testemunha importante

Antônia era a mãe de uma das filhas do ex-parlamentar e morreu no fim de setembro, com um tiro na cabeça. Uma das filhas de Telmário também o acusa de estupro no Dia dos Pais do ano passado.

Antônia estava dentro de um carro com um familiar quando dois homens em uma moto chegaram e atiraram contra a mulher. Ela morreu no local.

Em agosto de 2022, a filha de Telmário Mota e Antônia Araújo, com 17 anos na época, registrou um boletim de ocorrência contra o pai.

A garota afirmou que Telmário a assediou, tocou em suas partes íntimas e tentou arrancar as roupas dela, no domingo Dia dos Pais, depois de ter sido forçada a entrar em um carro e tomar bebidas alcoólicas.

Na época, Telmário negou as acusações e afirmou se tratar de perseguição política.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações