Eleições de 2020: candidatos declararam ter R$ 1,45 bilhão em espécie

Mais de 52,4 mil candidatos a prefeitos, vice-prefeitos ou vereadores disseram ter dinheiro em espécie guardado em casa

atualizado 01/11/2020 12:12

Daniel Ferreira/Metrópoles

Enquanto os brasileiros carregam cada vez menos dinheiro, os candidatos a prefeituras e câmaras municipais parecem gostar de manter a grana por perto, ao estilo do caso recente envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR).

De acordo com levantamento feito pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, com base nas declarações de bens recolhidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos 52.447 postulantes a cargos nas Eleições de 2020, 9,4% declararam ter dinheiro em espécie guardado fora dos bancos. São, ao todo, R$ 1,45 bilhão entre notas de real, dólar, euro e até won norte-coreano.

Desses, pelos menos 39 disseram ter acima de R$ 1 milhão. É o caso de Hamilton Julio da Silva (PSB), que concorre ao posto de prefeito em Comodoro, uma cidadezinha de pouco mais de 18 mil habitantes no interior do Mato Grosso. Ele declarou à Justiça Eleitoral nada menos que R$ 162,2 milhões, além de 7 casas, 3 terrenos e 75 cabeças de gado.

O conterrâneo de Hamilton, Moacir Giacomelli (Podemos), também guarda com ele muito dinheiro. Candidato pela segunda vez a prefeito de Vera, declarou posse de R$ 9 milhões em dinheiro vivo entre os seus bens. Procurados, nenhum dos dois se manifestaram até o fechamento da reportagem. Mas como os próprios candidatos preenchem a declaração de contas ao TSE, os dois casos podem ser um erro de digitação.

Segundo o TSE, caso os valores estejam errados, as retificações podem ser feitas pelo próprio candidato. Caso contrário, “o Juiz Eleitoral faz o exame do pedido do registro de candidatura e, se identificar discrepâncias no valor dos bens, poderá solicitar diligência”, explicou o órgão, em nota.

Veja lista:

Os não-milionários

Deixando de fora os milionários, há ainda os que afirmam possuir mais de R$ 50 mil em casa. E eles não são poucos: são 243 políticos com no mínimo quinhentas notas de 100 reais guardados em endereço doméstico.

Na contramão, nem só montanhas de dinheiro foram registradas pelos possíveis vereadores e prefeitos do país. Entre as quantias declaradas à Justiça Eleitoral, tiveram os que listaram R$ 0,42 em posse.

Investigação

Investigadores da Polícia Federal estariam mirando candidatos que declararam à Justiça Eleitoral guardar grandes somas de dinheiro em casa. Segundo reportagem da Folha de São Paulo, essa é uma variável importante para a decisão de quais pontos estratégicos no país serão monitorados por drones nestas eleições.

Procurada pelo Metrópoles, a PF afirmou que não comenta nem confirma possíveis investigações em andamento.

Mais lidas
Últimas notícias