metropoles.com

Lula fala em isenção do Imposto de Renda abaixo dos R$ 5 mil

O petista defendeu que o reajuste na tabela seja feito ano a ano e voltou a comentar sobre a necessidade de promover uma reforma tributária

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/YouTube
Lula
1 de 1 Lula - Foto: Reprodução/YouTube

O ex-presidente e candidato do PT à Presidencia da República, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que, caso seja eleito, pretende reajustar a tabela do Imposto de Renda para aumentar a faixa salarial de quem tem direito à insenção. O petista avalia que o valor pode subir para quem ganha até R$ 5 mil por mês.

“Não é possível que tudo tenha reajuste, menos a tabela do trabalhador que paga Imposto de Renda. Eu tenho a ideia de que nós vamos ter que escolher uma faixa maior para a gente poder isentar. Não é possível”, comentou o ex-presidente em entrevista à rádio Super, de Minas Gerais, nesta quarta-feira (17/8).

Atualmente, a isenção vale para quem recebe até R$ 1.903,98 mensalmente. A última correção da tabela foi feita em 2015. Lula afirmou que o reajuste ainda precisa ser discutido, sobretudo em razão do impacto na arrecadação que vai gerar.

“Eu fico pensando por volta de R$ 5 mil. Ou seja, até lá, a pessoa não precisaria pagar Imposto de Renda. Mas vamos ter que discutir porque, na hora em que você fizer isso, vai ter que deixar de arrecadar uma quantidade enorme de dinheiro e vai ter que dizer de qual outra fonte vai tirar recurso”, argumentou.

O petista ainda defendeu que o reajuste seja feito ano a ano e que o imposto também seja cobrado sobre lucros e dividendos.

Além disso, Lula comentou sobre a necessidade de promover uma reforma tributária no país. “Isso nós vamos ter que fazer, não tem jeito. Será inexorável debater a nova política tributária no Brasil. A gente vai tentar fazer com que a produção pague menos, o lucro pague mais, a herança pague mais. Nós vamos ter que encontrar um jeito”, destacou.

Presidente, governador, senador e deputado: veja quem são os candidatos nas Eleições 2022

Auxílio Brasil

Durante a entrevista, o ex-presidente falou sobre uma possível reformulação no Auxílio Brasil e a volta do Bolsa Família. Lula criticou a duração do benefício no valor de R$ 600, que vai até dezembro deste ano.

“Você vai tirar o auxílio com base em quê? As pessoas já arrumaram emprego? As pessoas já estão melhores de vida? Já arrumaram emprego? Estão ganhando alguma coisa, estão trabalhando? Não. Então, com base em que você faz o negócio para dar até dezembro e tira?”, questionou.

Em seguida, Lula, em tom de crítica, comparou a estrutura do Bolsa Família com os programas sociais criados pelo governo Bolsonaro.

“O Bolsa Família era uma necessidade, era um programa bem estruturado, que funcionava há 18 anos. Era um programa que a gente não tinha como fazer politicagem com ele porque era muito sério. Destruíram para criar um Auxílio Brasil, uma carteira verde-amarela, a casa verde-amarela, tudo verde-amarelo. É uma babaquice sem precedente na história do país”, apontou.

 

0

Lei da Ficha Limpa

Questionado sobre a Lei da Ficha Limpa, o candidato ao Planalto classificou como “bobagem” a forma como a legislação foi formulada.

“Foi uma bobagem fazer a Ficha Limpa do jeito que foi feita. Você, muitas vezes, pune uma pessoa e três meses depois ela readquiri o direito de ser candidato outra vez. Eu acho que é preciso a gente dar uma rediscutida na Lei da Ficha Limpa”, disse Lula.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações