Inflação nas capitais acumula 10,31% em 12 meses, diz FGV

Brasília foi a capital onde houve inflação mais forte. Salvador e Recife vêm logo atrás. O IPC-S indica semanalmente a inflação nas capitais

atualizado 04/07/2022 10:51

Fotografia de Brasília, capital do BrasilRegis Velasquez/Especial Metrópoles

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acumula alta de 10,31%. Nas quatro semanas até a última de junho, o índice variou 0,67%. As informações foram divulgadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (4/7).

O IPC-S considera a variação de preços ao consumidor em sete capitais: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. O maior aumento entre elas aconteceu em Brasília, inflação de 1,19%; seguido por Salvador, aumento de 1,06%, e Recife, 1,01%.

A inflação desacelerou, no entanto, no Rio (de 0,53% para 0,05%), em Recife (1,39% para 1,01%), em São Paulo (0,56% para 0,31%) e ligeiramente em Belo Horizonte (0,93% para 0,92%).

Brasília apresenta três coletas de altas consecutivas. Após cair 0,14% na coleta de 31 de maio e 0,02% na de 7 de junho, subiu 0,08% em 15 de junho, 0,63% em 22 do mês e chegou ao valor atual.

Salvador esteve próximo dos 1% nas últimas cinco coletas. Com exceção da pesquisa de 22 de junho, quando esteve em 0,98%, nas outras pesquisas, se mostrou acima desse patamar.

Caso similar acontece com Recife, que, acima do 1% nas pesquisas, aparenta cair desde o dia 15 de junho. Naquele dia, marcava 1,71%. Caiu para 1,39% nos indicador seguinte, e depois para 1,01 no mais recente.

O Rio de Janeiro foi a metrópole onde os preços cresceram com menor intensidade: subiram 0,05%.

O indicador é semanal e leva em consideração as quatro semanas anteriores à semana de fechamento da coleta. Neste caso, considerou-se até o dia 30/6.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente

Mais lidas
Últimas notícias