Covid: professor que não se vacinar terá salário bloqueado em GO, diz secretária

Titular da pasta de Educação afirmou que servidor que não justificar a falta de imunização terá remuneração interrompida a partir de outubro

atualizado 30/09/2021 13:28

Educação GoiásVinicius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – A titular da área de educação de Goiás, Fátima Gavioli, disse que os servidores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) que não apresentarem comprovante de vacinação contra a Covid-19 terão o salário bloqueado. A gestora estadual anunciou a implementação da iniciativa durante entrevista à CBN Goiânia na quarta-feira (29/9).

A medida vai começar a valer a partir de outubro, segundo Gavioli. Cerca de 98% dos funcionários que atuam na área da Educação já tomaram pelo menos a primeira dose da vacina, de acordo com a secretária.

0

“A partir de outubro, [o governo estadual] começa a bloquear o pagamento de servidores que não tomaram a primeira dose e não apresentaram justificativa”, declarou a gestora à rádio.

Volta ao presencial

Fátima disse ao Metrópoles, na quarta-feira (29/9), que vai propor que as aulas remotas sejam destinadas exclusivamente para estudantes com comorbidades. Isso significa que os demais alunos voltariam às salas de aulas ainda este ano.

Atualmente, as atividades presenciais na rede estadual não são obrigatórias, e o aluno pode continuar de forma remota.

Últimas notícias