Aumento da aposentadoria de servidores em GO vai custar R$ 147 mi por ano

Servidores aposentados que ganham até R$ 3 mil vão ter 100% de isenção da contribuição previdenciária. Maioria é formada por professores

atualizado 15/10/2021 16:11

Ronaldo Caiado GoiásVinicius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – O aumento das aposentadorias de servidores de Goiás, com a isenção da contribuição previdenciária, deve custar aos cofres públicos cerca de R$ 147 milhões ao ano. O valor foi revelado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) durante um evento da Educação nesta sexta-feira (15/10).

Segundo o governo, essa melhora na aposentadoria dos servidores será possível graças à privatização da estatal Celg Transmissão (Celg T), que foi leiloada por R$ 1,97 bilhões, nesta quinta-feira (14/10).

0

O valor arrecadado com a venda da Celg T deve ser utilizado para diminuir o déficit previdenciário, que é de entre R$ 2,5 bilhões e R$ 3 bilhões ao ano.

No evento desta sexta, o presidente da Goiás Previdência (Goiásprev), Gilvan Cândido, reconheceu que o aumento das aposentadorias vai levar a um acréscimo do déficit previdenciário. No entanto, ele disse que a venda da Celg T dá mais segurança para isso.

Entenda a mudança

Um projeto do governo de Goiás enviado para a Assembleia Legislativa propõe 100% de isenção de contribuição previdenciária para os servidores aposentados e pensionistas que recebem até R$ 3 mil. Isso significa que vai deixar de ser descontado 14,25% de suas aposentadorias, representando um aumento do quanto recebem ao mês.

De acordo com Gilvan Cândido, a medida deve beneficiar 18 mil aposentados, sendo que a maioria deles, 11 mil, são professores da rede estadual. Os que ganham mais de R$ 3 mil devem ter um desconto proporcional.

“Não só com números”

Caiado diz que defendeu a melhora da aposentadoria dos servidores depois de conversar com uma professora aposentada em um aeroporto, que teria dificuldade de comprar remédios por causa dos descontos no valor recebido.

“A gente não governa só com números, mas com a sensibilidade que nós temos com as pessoas. No momento em que tive a oportunidade de ver o desconto de 14,25% na folha de uma professora que tinha gastos também com medicamentos, eu determinei ao mesmo tempo que esse corte fosse a nível de R$ 3 mil”, declarou.

Novo Ensino Médio

O evento em que o governador falou sobre a proposta de mudança na previdência foi uma solenidade no Conselho Estadual de Educação, em Goiânia, em que foi assinado o documento com as diretrizes do novo currículo do Ensino Médio, baseado na reforma de 2017.

Esse novo currículo é de 1.200 horas, diferente do anterior de 800. Além disso, são previstos cursos profissionalizantes.

No mesmo evento houve a posse de novos conselheiros da educação e a entrega simbólica de novos materiais para escolas: notebooks, kits de robóticas, atlas de geografia e televisores. Também foi anunciada uma nova bonificação para professores.

Um bônus que foi pago no ano passado de R$ 2.550 para contratados de 40 horas, passou a ser de R$ 3.200. Além disso, os servidores da educação que cumprirem metas estipuladas pelo estado, vão receber um novo bônus de 86% da remuneração, segundo a secretária de educação Fátima Gavioli.

Mais lidas
Últimas notícias