*

A homenagem de um menino adotado por pais homossexuais fez com que muitas pessoas se emocionassem na internet. Na escola, foi pedido a João Vítor, 11 anos, que estuda no interior de São Paulo, e aos outros colegas da classe, que fosse escrita uma redação com o tema: “Como seria a vida do menino mais feliz do mundo”.

João, que passou um ano e meio no orfanato antes de ser adotado, escreveu:

“Uma vez eu morava só com meu pai, e um dia ele morreu e ninguém me quis, daí eu fui morar num orfanato. Passou muito tempo eu conheci dois pais homem que gostaram de mim eles me adotaram e partir desse dia eu me fiquei muito feliz.

Eu amo muito esse dia esse dia nesse dia que conheci eles estou vivendo muito bem, muito feliz com eles, eles me amam e eu amo eles.

Nós brincamos nos divertimos, sentimos dor e choramos juntos, e nós três somos felizes e amamos uns aos outros.

Eu ser adotado eu não tenho vergonha e amo muito eles e minha outra família que eu tinha não me amava e eu era triste, mas essa família eu sinto que me ama e eu vou dar muito valor a ela, porque eu amo muito ela.

O menino mais feliz do mundo chama João sou eu

De João para meus dois pais homem que eu amo muito.”

O casal homossexual começou a pensar em adoção no fim de 2014. Em 2015, entregaram
a documentação e esperaram um ano para serem habilitados. Em 2016, conheceram o menino e não tiveram dúvidas de que o adotariam, mesmo ele tendo a idade acima da que o casal havia estipulado para adoção.

Marcelo e Fernando o levaram para passear em fevereiro de 2016 e o deixaram de volta no orfanato. No dia 9 de março, conseguiram a guarda provisória do menino. Apesar do preconceito que sentiram nas redes sociais, a aceitação e os comentários positivos chamaram mais atenção.

 



COMENTE

 
adoção