França tem 1º caso de transmissão de monkeypox de humanos para cão

O cachorro apresentou sintomas 12 dias depois que seus tutores ficaram doentes. O caso foi reportado na revista científica The Lancet

atualizado 17/08/2022 16:19

Cachorro da raça galguinho italianoGetty Images

Um artigo publicado na revista The Lancet na última quarta-feira (10/8) confirmou o primeiro caso de transmissão de varíola dos macacos (monkeypox) de humanos para animais de estimação. O caso ocorreu na França.

Um cachorro da raça galguinho italiano, de 4 anos, desenvolveu lesões na pele 12 dias depois de os tutores – um homem de 44 anos e outro de 27 anos – ficarem doentes.

De acordo com o artigo, os homens são parceiros não exclusivos que vivem na mesma casa e tinham o hábito de dormir com o pet. Eles procuraram o Hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris, no começo de junho com sintomas da infecção.

Seis dias após terem feito sexo com outros parceiros, os homens desenvolveram ulceração anal seguida por erupções cutâneas no rosto, orelhas, pernas e costas, associadas com diminuição da força muscular (astenia), dores de cabeça e febre.

O cachorro, por sua vez, apresentou lesões mucocutâneas, incluindo pústulas no abdômen e ulceração anal fina. Um teste do tipo PCR confirmou a infecção pela varíola dos macacos.

As sequências do DNA do vírus coletado no cão e no paciente de 44 anos foram comparadas. Ambas continham vírus do clado hMPXV-1, linhagem B.1, o mesmo que vem se espalhando desde abril.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

Os autores do estudo destacaram que não existem dados sugerindo que animais de estimação sejam facilitadores de transmissão do vírus. “Não se sabe se gatos e cães domesticados podem ser um vetor para o vírus da varíola dos macacos”, escreveram.

“Nossas descobertas devem estimular o debate sobre a necessidade de isolar animais de estimação de indivíduos positivos para o vírus da varíola dos macacos. Apelamos a uma investigação mais aprofundada sobre transmissões secundárias através de animais de estimação”, concluíram.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias