Covid-19: agência americana aprova uso emergencial de vacina da Pfizer

Os Estados Unidos foram o quinto país a autorizar o imunizante no mundo. Vacinação deve começar no início da próxima semana

atualizado 12/12/2020 9:00

Seringas de vacinaPixabay

Conforme esperado, a agência responsável pela autorização de medicamentos nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês), aprovou o uso emergencial da vacina da Pfizer e da BioNTech contra o novo coronavírus. O anúncio foi feito na página do órgão.

O imunizante está autorizado para ser usado em pessoas com 16 anos ou mais. No texto, a FDA também fala dos efeitos colaterais mais comumente relatados: dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, calafrios, dor nas articulações e febre.

“É importante ressaltar que mais pessoas experimentaram esses efeitos colaterais após a segunda dose do que depois da primeira. Portanto, é importante que os vacinadores e os destinatários esperem que possam ocorrer alguns efeitos colaterais após cada dose, ainda mais depois da segunda dose”, destaca o documento.

O presidente norte-americano, Donald Trump, comemorou a notícia nas redes sociais com um vídeo, dizendo que a vacina é um “milagre médico”. “Os dedicados e independentes experts da FDA estudaram meticulosamente os testes, que passaram pelo padrão ouro de segurança”, afirmou.

Expectativa

A expectativa é de que a vacina comece a ser aplicada no início da próxima semana. Cada estado tem autonomia para escolher o público prioritário, mas asilos e profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 devem ser os primeiros a receber a imunização.

Antes disso, porém, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) precisa autorizar a medida da FDA, o que deve acontecer ainda neste sábado (12/12).

Assim, os Estados Unidos se tornam o quinto país a aprovar o uso do imunizante da Pfizer e da BioNTech – os outros são Reino Unido, Canadá, Bahrein e México. O Reino Unido foi a primeira nação ocidental a vacinar seus cidadãos, neste semana.

Mais lidas
Últimas notícias