metropoles.com

Caso do Porsche: “Minha irmã vai crescer sem pai”, diz filho de vítima

Em entrevista, dois dos três filhos de vítima de acidente com Porsche, ocorrido no último domingo (31/3), falaram de sentimento de injustiça

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/TV Globo
Homem pardo com cabelos curtos leva a mão ao rosto com expressão de triisteza
1 de 1 Homem pardo com cabelos curtos leva a mão ao rosto com expressão de triisteza - Foto: Reprodução/TV Globo

São Paulo — Um homem trabalhador e ótimo pai, é como Luam Silva descreve Ornaldo da Silva Viana, 52 anos. O motorista de aplicativo morreu ao ter seu carro atingido por um Porsche em alta velocidade, na madrugada de domingo (31/3), na Avenida Salim Farah Maluf, zona norte de São Paulo. Ele e o irmão, Lucas, deram entrevista nesta terça-feira (2/4) ao programa Encontro, da TV Globo.

O motorista do carro de luxo, avaliado em R$ 1,2 milhão, Fernando Sastre de Andrade Filho, se apresentou à polícia no início da noite dessa segunda-feira (1º/4), após passar cerca de 38 horas desaparecido.

Luam contou à emissora que a irmã dele, de 13 anos de idade, está muito abalada com o que aconteceu. “É muito difícil, ela vai crescer sem pai, mas vai ter dois irmãos e nossa mãe”, contou.

“É difícil acordar com sua mãe chorando, é complicado”, contou Luam sobre o impacto que a morte do pai causou na família.

0

Lucas, outro filho da vítima, disse que estava dormindo quando recebeu o telefonema de uma policial pedindo que ele fosse ao hospital para onde o pai havia sido levado após um acidente. “Nunca passou pela minha cabeça [que o pai tivesse morrido]. E aí, quando cheguei lá, ela me deu essa notícia. Foi desesperador, me joguei no chão, gritei”, contou o jovem na entrevista ao Encontro.

“É muito difícil, uma dor que só quem passou sabe como é. Ele não merecia, pela pessoa que ele era”, relatou Lucas.

Lucas ainda lembrou que o pai “tinha muito entusiasmo em tudo o que ele fazia (…) vivia 100%, se doava seja no que for”. Ornaldo era evangélico e participava como voluntário de ações de evangelização da igreja que frequentava.

Os filhos de Ornaldo dizem ter um sentimento de impunidade e de injustiça: “Como acontece um acidente desse tamanho e simplesmente o cara [Felipe Sastre de Andrade Filho] vai embora, com a presença da polícia?”, questionou Lucas.

“Eu espero que ele pague pelo que fez, que fique preso, que a justiça seja feita (…). Que ninguém está acima da lei, a lei vale para todos, independente da classe social”, pediu Lucas.

Depoimento à polícia

Acompanhado de um advogado, Fernando Filho se apresentou à polícia nessa segunda-feira (2/4), mais de 36 horas após o acidente. Segundo a polícia, o empresário estava tranquilo e não demonstrou arrependimento em seu depoimento.

A mãe do empresário o acompanhou à delegacia. Apesar de ter ajudado o filho a deixar a cena do crime, ela não vai responder criminalmente pelo ato, segundo a polícia, por ser parente de primeiro grau do empresário.

0

O delegado Nelson Vinicius Alves, assistente do 30° Distrito Policial (Tatuapé), indiciou o motorista do Porsche por homicídio com dolo eventual, lesão corporal e fuga de local de acidente. O pedido de prisão temporária foi negado pela Justiça.

Além disso, a polícia investiga se Fernando ingeriu bebida alcoólica antes do acidente. Para isso, vai rastrear a comanda de consumo do empresário na casa noturna onde ele esteve.

No depoimento à polícia, o empresário afirmou que estaria “passeando” com um amigo, negou que tenha bebido e confirmou que conduzia o motorista do Porsche envolvido na colisão.

Como foi o acidente

As imagens das câmeras de monitoramento das imediações do acidente mostram a violência com que o Porsche conduzido pelo empresário atinge o Renault Sandero de Ornaldo Viana.

O veículo de luxo do empresário estava em altíssima velocidade quando bateu contra a traseira do carro de aplicativo de Ornaldo da Silva Viana, 52 anos. O Porsche arrasta por alguns metros o automóvel da vítima, que estava trabalhando. A luz de alguns postes chega a apagar, tamanha a violência da batida.

Por causa da alta velocidade, a frente do carro de luxo ficou completamente destruída, da mesma forma que a traseira do veículo da vítima.

O passageiro de Fernando, identificado apenas como Marcus Vinícius, ficou ferido e foi levado para o Hospital São Luiz Tatuapé.

Ornaldo foi levado para o Hospital Municipal do Tatuapé, onde chegou com quadro de parada cardiorrespiratória. A equipe médica tentou reanimá-lo, sem sucesso. Ele morreu por causa de “traumatismos múltiplos”. Ornaldo era casado e deixa três filhos.

 

 

 

 

 

Compartilhar notícia