Substituto do McDonald’s na Rússia abre lojas com nova logomarca

Os restaurantes vão operar com novo nome e logotipo, mas nos mesmos locais e com pratos quase idênticos aos da rede americana de fast-food

atualizado 12/06/2022 13:30

Reprodução/Getty Images

Os primeiros restaurantes da rede que substituirá o McDonald’s na Rússia abriram as portas, neste domingo (12/6), em Moscou sob o slogan “o nome muda, o amor permanece”. A rede americana encerrou as operações no país após a invasão da Ucrânia.

Os 15 restaurantes vão operar com novo nome e logotipo, mas nos mesmos locais, com a mesma equipe e pratos quase idênticos aos da rede de fast-food americana. Nesta segunda-feira (13/6), outros 50 restaurantes da nova cadeia devem abrir.

A nova rede se chama “Vkousno i totchka”, que significa “Delicioso e ponto final”, em português. O novo logotipo da rede apresenta um círculo vermelho e dois traços laranjas inclinados, representando um hambúrguer e duas batatas fritas.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

“Vamos tentar fazer tudo para que os nossos clientes não notem qualquer diferença tanto a nível de ambiente e sabor quanto de qualidade”, assegurou o diretor-geral da cadeia russa de fast-food, Oleg Paroïev.

“Não vai ser pior, com certeza. Vamos tentar melhorar”, acrescentou o novo proprietário, o empresário russo Alexandre Govor. “Esperamos que o número de clientes não diminua, mas, pelo contrário, que aumente. Especialmente, porque agora é uma empresa 100% russa”, enfatizou.

Como resultado da invasão da Ucrânia pela Rússia, o McDonald’s vendeu, no mês passado, seus restaurantes a Govor. O grupo americano havia decidido fechar temporariamente suas 847 lanchonetes na Rússia devido à invasão e, posteriormente, informou o encerramento das operações no país depois de 32 anos.

Cardápio quase igual

No novo menu, quase a mesma variedade de antes, mas com novos nomes. O “Royal Deluxe”, por exemplo, agora se chama “Grand Deluxe”. O “Filet-o-Fish” virou “Fish Burger”, e o “Double Royal”, “Double Grand”. Além disso, o prefixo “McDo” não aparece mais em nenhum nome.

Além disso, o fato de o McDonald’s na Rússia adquirir anteriormente produtos de agricultores locais deve garantir que os sanduíches continuem a ter sabor semelhante.

“Fomos obrigados a retirar certos produtos do cardápio porque fazem referência direta ao McDonald’s, como o McFlurry e o Big Mac”, esclareceu Oleg Paroïev.

Segundo ele, os preços “aumentaram ligeiramente” devido à inflação que atingiu fortemente a Rússia desde que as novas sanções ocidentais foram impostas em decorrência da invasão.

Sergei, de 15 anos, testou neste domingo a nova oferta de uma filial no centro de Moscou que já foi a principal loja do McDonald’s na capital russa.

“O sabor permanece o mesmo. O refrigerante é diferente, mas o hambúrguer, realmente, não mudou”, disse, enquanto comia um hambúrguer de frango e batatas fritas.

Elena, programadora e mãe de dois filhos, reuniu toda a família para um almoço em um dos restaurantes do novo “Mc Donald’s russo”, onde, desde a manhã deste domingo, bem antes da abertura oficial, dezenas de pessoas esperavam, na Praça Pushkin.

O novo dono

Alexandre Govor, que operava 25 restaurantes do grupo americano na Sibéria desde 2015, comprou as atividades do McDonald’s em maio.

Cofundador de uma empresa de refinamento de petróleo, a Neftekhimservice, o empresário concordou em manter os cerca de 62 mil funcionários durante pelo menos dois anos, em condições equivalentes às que tinham anteriormente.

O empresário, de 62 anos, natural do sul da Sibéria, afirma ter “planos muito ambiciosos”.

“Queremos atingir as mil lojas em cinco ou seis anos”, destacou Govor.

Presença desde a era soviética

O McDonald’s iniciou as operações em Moscou em janeiro de 1990, ainda na era soviética. A inauguração da primeira loja na capital do país foi encarada à época como um dos símbolos da abertura do antigo império comunista para o exterior.

O primeiro McDonald’s, na Praça Pushkin, no centro de Moscou, foi inaugurado em janeiro de 1990, dois anos antes do colapso da União Soviética, e recebeu mais de 30 mil clientes no dia da inauguração — um recorde mundial para a marca americana.

A fila gigantesca em frente à loja tornou-se lendária, e o restaurante, o mais visitado da rede do mundo: em 30 anos, recebeu mais de 140 milhões de clientes, o equivalente a quase toda a população russa.

A Rússia, onde o McDonald’s administrava diretamente mais de 80% dos restaurantes que usam seu nome, respondia por 9% da receita da empresa e 3% do lucro operacional.

O McDonald’s havia fechado temporariamente as mais de 800 lojas na Rússia em março, no início da guerra do regime de Vladimir Putin contra a Ucrânia. Não foi a primeira vez que a rede tomou decisão parecida. Em 2014, a empresa fechou todas as lojas na região ucraniana da Crimeia, após a península ser anexada pela Rússia.

Uma rede russa chamada RusBurger acabou assumindo os antigos pontos da rede americana na Crimeia. Com o lema “sabor da Rússia”, a rede passou a oferecer produtos como o “X-Burguer do Czar” e o “Czar de Frango”, em vez dos tradicionais Big Macs e McChickens.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias