coronavírus-mundo-covid-19

Em três meses, coronavírus deixou o mundo de cabeça para baixo

Uma linha do tempo ajuda o leitor identificar como a disseminação do coronavírus teve uma velocidade surpreendente

atualizado 18/04/2020 11:28

coronavírus-mundo-covid-19

Em 2019, o termo coronavírus não fazia parte do vocabulário das pessoas. Mas, desde 1 de janeiro deste ano, o mundo passou a conhecê-lo de forma mais íntima. A palavra, antes restrita a artigos científicos, virou o assunto mais comentado dos jornais, mesas de jantar e conversas de WhatsApp. Cento e sete dias foram suficientes para esse micro-organismo virar de cabeça para baixo o mundo como o conhecemos.

Segundo a Universidade John Hopkins, 151 mil pessoas ao redor do globo já morreram e 2,2 milhões foram infectadas. O planeta Terra, antes tão globalizado e veloz, está desacelerado por conta desse ser vivo que não perdoa ninguém. Cientistas correm para descobrir uma forma de derrotá-lo nos laboratórios. Profissionais da saúde estão na linha de frente buscando salvar vidas. A população mundial procura se informar com os dados disponíveis para tentar se manter segura em casa enquanto não há uma solução.

Para facilitar esse processo, o diplomata Rômulo Neves criou uma linha do tempo que ajudará o leitor a identificar como a disseminação do vírus teve uma velocidade surpreendente e em um pouco mais de três meses obrigou o mundo a parar.

27/03/2018
Diplomatas dos Estados Unidos visitam o Instituto de Virologia de Wuhan. O laboratório foi o primeiro da China a obter o mais alto certificado internacional de segurança em pesquisa biológica (BSL-4). As equipes que trabalhavam no local conduziam estudos sobre coronavírus presentes em morcegos da região. Em seu relatório, entretanto, os funcionários do governo americano levantam questionamentos sobre procedimentos de segurança da unidade.

30/12/2019
O médico Li Wenliang, do Hospital Central de Wuhan, enviou mensagem privada a um grupo de amigos, alertando sobre a possibilidade de uma epidemia. Ele identificou um crescente número de casos incomuns de pneumonia. A polícia prende Li no dia 1 de janeiro e o indicia dois dias depois, por supostamente espalhar notícias falsas. Mas em 4 de fevereiro, Li é inocentado pela Suprema Corte, porque as informações não eram falsas.

31/12/2019
China informa à Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre 41 pacientes com uma pneumonia misteriosa. A maioria passou pelo Mercado de Animais de Huanan, em Wuhan.

01/01/2020
O Mercado de Wuhan é interditado.

07/01/2020
O vírus é mapeado e identificado por autoridades sanitárias chinesas. Recebe o nome de nCoV (novo coronavírus).

11/01/2020
Primeira morte na China.

13/01/2020
Primeira pessoa infectada por coronavírus identificada fora da China, uma turista chinesa de 61 anos, internada em Bangkok, Tailândia.

15/01/2020
Caso confirmado no Japão: um homem de 30 anos que havia visitado Wuhan. O paciente apresentava sintomas desde o dia 3 de janeiro.

17/01/2020
Na França, três pessoas com passagem por Wuhan são internadas.

20/01/2020
Um homem de 35 anos é diagnosticado nos Estados Unidos. Ele havia retornado no dia 15 de janeiro de Wuhan.

23/01/2020
Começa a quarentena em Wuhan.

25/01/2020
Primeiro caso registrado na Austrália.

30/01/2020
A OMS declara emergência global. A China tem 7.700 casos e 170 mortes. O vírus já está presente em todas as 31 províncias do país, além de outros 15 países: Índia, Filipinas, Rússia, Espanha, Suécia, Reino Unido, Austrália, Canadá, Alemanha, Japão, Singapura, Estados Unidos, Emirados Árabes, Tailândia e Vietnã.

31/01/2020
Duas pessoas são diagnosticadas na Itália, o primeiro país a ultrapassar a China em número de mortes.

02/02/2020
Primeiro óbito é registrado fora da China. Nas Filipinas, um homem de 44 anos não resiste ao novo coronavírus, ele havia visitado Wuhan.

06/02/2020
Primeiro estrangeiro a morrer na China, um cidadão americano de 60 anos, em visita a Wuhan.

06/02/2020
Transmissão entre seres humanos acontece fora da China, na Malásia.

07/02/2020
Morre o médico Li Wenliang, três dias depois de ser inocentado pela Suprema Corte.

09/02/2020
O número de mortes por coronavírus chega a 811 e ultrapassa o do surto de SAR (2002-2003).

11/02/2020
OMS dá nome de Covid-19 à doença causada pelo novo coronavírus. China ultrapassa mil mortes.

13/02/2020
Morte registrada no Japão.

14/02/2020
Caso registrado na África, no Egito.

14/02/2020
Primeira morte na Europa, na França.

19/02/2020
Duas mortes são registradas no Irã, segundo país mais afetado pelo surto em seu estágio inicial.

20/02/2020
Morte registrada na Coreia do Sul.

22/02/2020
Óbito registrado na Itália.

26/02/2020
Caso confirmado no Brasil, um homem de 61 anos que retornou da Itália. Nessa mesma semana, outros 18 países registram seus primeiros diagnósticos. A América do Sul era o último continente até então sem nenhum teste confirmado.

29/02/2020
Morte registrada nos EUA.

07/03/2020
China ultrapassa 80 mil casos.

08/03/2020
Itália decreta lockdown, com 5.883 casos e 233 mortes registradas.

09/03/2020
Irã liberta 70 mil presos com infrações leves e médias para conter disseminação de vírus em suas prisões.

09/03/2020
Egito registra a primeira morte no continente africano.

11/03/2020
OMS declara o coronavírus como uma pandemia, 41 dias depois do anúncio da emergência global. Sete países registram os primeiros casos nesse mesmo dia.

12/03/2020
Megaevento religioso realizado no Paquistão, nas imediações de Lahore, reúne representantes de 80 países. Pelo menos 20 pessoas que participaram do evento foram diagnosticados posteriormente, em pelo menos cinco países.

13/03/2020
EUA declaram situação de emergência e suspendem os voos e a entrada de viajantes de 26 países europeus, por 30 dias. Viajantes do Reino Unido não são atingidos pela medida.

16/03/2020
Primeira morte no Brasil, de um homem de 62 anos, que apresentou sintomas no dia 10 de março.

17/03/2020
Estudo da Casa Branca indica que pandemia poderá durar até 18 meses, com múltiplas ondas de contágio.

19/03/2020
Itália, com 3.405 mortes, ultrapassa a China, em menos de um mês depois da primeira morte registrada. O país europeu nunca chegou a ultrapassar a nação asiática em número de infectados.

19/03/2020
Primeiro dia em que a China não registra novos casos de transmissão da doença. País passa a se preocupar com a entrada de visitantes contaminados.

20/03/2020
Número de mortes no mundo ultrapassa 10 mil.

25/03/2020
Número de mortes no mundo ultrapassa 20 mil. Número foi dobrado em cinco dias.

25/03/2020
EUA anunciam medidas de estímulo à economia e combate ao coronavírus na ordem de US$ 2 trilhões.

26/03/2020
EUA ultrapassam China em número de infectados, com um total de 81.578.

26/03/2020
Número de casos no mundo ultrapassa 500 mil. Foram necessários 87 dias para esse número ser atingido.

27/03/2020
Índia impõe o maior lockdown da história, com a medida sendo aplicada a seus 1,3 bilhão de habitantes. África do Sul toma a mesma decisão nessa data.

27/03/2020
O primeiro-ministro do Reino Unido foi o primeiro chefe de governo oficialmente contaminado com coronavírus. Em 6 de abril ele é internado na UTI e uma semana depois recebe alta. Outras autoridades contaminadas foram: o príncipe Charles; a primeira-dama do Canadá, Sophie Trudeau, e a da Espanha, Begoña Goméz; o vice-presidente do Irã, Eshaq Jahangiri; o príncipe Alberto de Mônaco; o prefeito de Miami, Francis Suarez; e o príncipe governante de Riade, na Arábia Saudita (e outros 150 membros da família real saudita). No Irã, ainda, 24 deputados se infectaram e dois morreram. Ministros da Saúde foram diagnosticado em Israel, Reino Unido e Irã (vice). Outros ministros de Estado foram contaminados nos seguintes países: Brasil (2), Espanha (2), Somália (2), Burkina Faso (2), Polônia, Noruega, Nigéria, França e Austrália.

31/03/2020
Número de mortes no mundo ultrapassa 40 mil. Número foi dobrado em seis dias.

02/04/2020
Quantidade de mortes no mundo ultrapassa 50 mil.

 

02/04/2020
Casos diagnosticados de Covid-19 ultrapassam 1 milhão. O valor dobrou em 7 dias. Desde o início da pandemia, foram necessários 94 dias para os registros chegarem a esse patamar.

06/04/2020
51 pacientes coreanos que haviam sido curados de coronavírus testam novamente positivo. O caso levanta a suspeita se a imunidade gerada pela contaminação é temporária e se o vírus é sazonal. Em 10 de abril, outro grupo, com mais de mais 65 pacientes, apresentou o mesmo quadro. Em 14 de abril, em artigo publicado na Science, pesquisadores de Harvard apontam nessa direção.

07/04/2020
O Japão declara estado de emergência, depois de uma nova escalada no número de casos, que estava controlado.

08/04/2020
A cidade de Wuhan volta a permitir que seus cidadãos deixem parcialmente o lockdown, depois de 76 dias em quarentena.

10/04/2020
Número de mortes no mundo ultrapassa 100 mil. A quantidade dobrou em oito dias.

11/04/2020
EUA ultrapassam a Itália em número de mortes, com 20.071 registros. País também atinge a marca de 500 mil infectados e tem quase 30% de todos os casos registrados no mundo.

15/04/2020
Número de diagnósticos ultrapassa 2 milhões. Em apenas 13 dias, a quantidade dobrou.

15/04/2020
Nova York é a primeira cidade do mundo a ultrapassar 10 mil mortes e concentra quase 8% dos óbitos registrados no mundo. Se fosse um país, seria o 6º mais atingido. Com cerca de 115 mil infectados, a metrópole tem 18% dos casos dos EUA e cerca de 6% das ocorrências no mundo.

15/04/2020
Dinamarca e Áustria são os primeiros países da Europa a suspender parcialmente a quarentena. Tendo adotado medidas restritivas logo no início da crise, as duas nações conseguiram controlar o surto. Na direção contrária, a Suécia experimenta uma escalada nos casos e estuda adotar medidas mais restritivas, o que não havia feito até o momento.

16/04/2020
China anuncia retração de 6,8% da economia, apenas no primeiro trimestre do ano, em razão do surto de coronavírus. Trata-se do primeiro recuo registrado desde 1992, quando o país começou a fazer registros trimestrais.

17/04/2020
As autoridades sanitárias de Wuhan revisam o total de mortes por coronavírus na cidade de 2.579 para 3.869. Um aumento de 1.290 ou 50%. A revisão teria ocorrido depois de tanto tempo pois, somente após superar o colapso do sistema de saúde, os casos puderam ser analisados retrospectivamente. Com isso, a China passa de 3.342 para 4.632 mortes.

17/04/2020
O número de mortes ultrapassa 150 mil no mundo: sendo 36 mil nos EUA, 23 mil na Itália e quase 20 mil na Espanha. O número de infectados supera 2,2 milhões, sendo mais de 690 mil nos EUA, quase 190 mil na Espanha e mais de 170 mil na Itália. Pessoas que se curaram da doença no mundo somam 567 mil. Há 1,5 milhão de casos ainda ativos, sendo 56 mil em estado crítico.

17/04/2020
Ainda não existe vacina, tampouco remédios com efetividade comprovada por pesquisas acadêmicas. Vários medicamentos e substâncias estão sendo testados nos casos concretos, em grupos de pacientes, em busca de evidências de seu funcionamento, incluindo anticoagulantes, plasma sanguíneo, cloroquina e antivirais, como atazanavir, lopinavir, ritonavir, inferon beta e o remdesivir, cujos resultados preliminares positivos fizeram as ações da fabricante, Gilead, subir 7,5% em um dia na NASDAQ, nos EUA.


*Rômulo Neves é professor, jornalista e diplomata. Atualmente serve no Paquistão

Últimas notícias