Corpo de general Suleimani é velado no Irã sob ameaças de Trump

Multidão acompanha de perto o cortejo. Em meio ao funeral, o presidente americano disse ter "52 alvos iranianos na mira"

atualizado 05/01/2020 10:06

POOL / PRESS OFFICE OF IRANIAN SUPREME LEADER/ANADOLU AGENCY/GETTY IMAGES

Após ser velado em procissão nas ruas de Bagdá, o corpo do general da Guarda Revolucionária Qassim Suleimani chegou ao Irã neste domingo (05/01/2020). Uma multidão o aguardava para a cerimônia de homanegam à morte do líder iraniano.

O corpo de Suleimani — e de outros líderes mortos no ataque da última quinta-feira (02/01/2019) — foi levado para a cidade iraniana de Ahvaz, no sudoeste do país. O funeral tem previsão para durar quatro dias.

O corpo do general deixou Bagdá em um avião. Passou por cidades consideradas sagradas pelos muçulmanos xiitas, como An-Najaf e Karbala. Enquanto era velado, três morteiros foram lançados na Zona Verde, bairro iraquiano ultraprotegido que abriga a embaixada e bases dos Estados Unidos, onde ocorria a cerimônia.

A multidão que acompanha o velório do general no Irã carrega bandeiras vermelhas, o que representa o sangue derramado, verdes e brancas, de acordo com a Isna, rede de televisão estatal do Irã. Muitos levam fotos do líder nas mãos.

Além de Ahvaz, o corpo vai passar pelas cidades de Teerã, Mashhad e Qom. Suleimani vai ser enterrado na próxima terça-feira (07/01/2020), em Kerman, cidade natal do general.

Ataque
assassinato de Suleimani marca uma escalada no conflito que se arrasta desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, assumiu e tomou medidas como a retirada do país do acordo nuclear de 2015 e a instituição de sanções econômicas ao Irã.

Depois de o Pentágono confirmar a autoria do ataque que matou Suleimani, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, e o presidente iraniano, Hassan Rouhani, prometeram “retaliação severa”.

Donald Trump disse, nesse sábado (04/01/2020) que o governo tem 52 alvos, incluindo alguns de “alto nível e grande importância”, no Irã. Ele ameaçou atacá-los caso o Irã concretize a promessa de vingança após o ataque que resultou na morte do general iraniano Quassim Suleimani.

Pelo Twitter, Trump subiu o tom: “Que isso sirva como um alerta de que se o Irã atacar qualquer americano, ou qualquer ativo americano, miramos 52 alvos e eles serão atingidos muito rapidamente e com muita força. Os EUA não querem mais ameaças”, escreveu.

(Com informações da Agência Estado)

Últimas notícias