De Brasília, chef Gil Guimarães comemora três anos de pizzaria em SP

Convidados especiais criaram um cardápio exclusivo para o mês de aniversário da Napoli Centrale, idealizada por ele

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 02/08/2019 23:21

São Paulo – O chef Gil Guimarães é conhecido em Brasília por comandar a pizzaria Baco, com mais de 20 anos de história na capital, e também o Parrilla Burger. Neste mês, ele comemora o sucesso de mais um empreendimento: está em festa pelos três anos de abertura da Napoli Centrale, fruto da parceria com Marcos Livi no Mercado Municipal de Pinheiros, em São Paulo.

Para a celebração, os sócios montaram um time com nomes da gastronomia nacional para criar sabores de pizza inéditos, que estarão à venda por cerca de 20 dias na unidade. Os convidados foram Carlos Bertolazzi, Dalton Rangel, Guga Rocha, Jimmy McManis e Renato Carioni.

Divulgação/Napoli Centrale
Para comemorar três anos, a Napoli Centrale oferece sabores especiais de pizzas napolitanas

 

O processo napolitano de fazer pizzas foi criado em Nápoles (Itália) por volta de 1700. Além de ingredientes artesanais e técnicas específicas para abrir a base da massa, a receita envolve regras de temperatura para cozimento e até de aroma, e leva apenas farinha, água, sal e fermento.

Para garantir que as pizzarias sigam essa rigorosa tradição, a Associazone Verace Pizza Napoletana (AVPN) certifica as casas que se encaixam em uma lista de critérios técnicos.

A Napoli Centrale é um dos poucos estabelecimentos no Brasil que conquistou o selo. 

O sucesso do negócio é significativo. De acordo com Gil Guimarães, a unidade de Pinheiros chega a vender 400 pizzas por dia. “A minha experiência vem de Nápoles, mas foi consolidada em Brasília. Trazer para São Paulo, no coração do Brasil e da pizza, é um sonho realizado”, declara o restaurateur. Vale lembrar que SP é a cidade que mais vende pizzas no mundo, atrás apenas de Nova York. 

O outro fundador da Napoli Centrale, Marcos Livi, destaca que, desde o começo, a ideia foi oferecer redondas de qualidade a um preço acessível.

“Quando o Gil me chamou para entrar nesse projeto, querendo ou não, mexemos com a forma como as pessoas comem pizza em São Paulo”, afirma. “Viemos para um dos espaços mais democráticos”, acrescenta Livi.

Reprodução/Instagram/@napolicentralepizza
Gil Guimarães (à esquerda) com Renato Carioni, que desenvolveu um dos sabores inéditos para a celebração. Ao lado deles, o sócio Marcos Livi

 

O local escolhido para o estabelecimento foi estratégico. O Mercado de Pinheiros se tornou um point da cidade. Além de boxes que vendem ingredientes de diversas regiões, quem passa por lá pode ter uma verdadeira experiência gastronômica nos restaurantes disponíveis.

Para chegar a esse ponto, a estrutura passou por uma revitalização em parceria com Alex Atala e Rodrigo Oliveira. Na opinião de Gil Guimarães, a iniciativa poderia facilmente servir como inspiração para Brasília.

“A capital é cheia de feiras. Tem a do Núcleo Bandeirante, a dos Produtores, a do Guará, a da Torre. Eu enxergo um potencial, alguém tem que fazer, daria para acontecer algo parecido em um lugar legal”, destaca o chef.

Divulgação/Napoli Centrale
A Napoli Centrale fica no Mercado de Pinheiros, espaço revitalizado por chefs renomados

 

Para Gil, não há diferença entre a receptividade entres os públicos brasiliense e paulista. No entanto, o pizzaiolo percebe que em São Paulo, devido à influência italiana, as pessoas falam e gostam mais de pizza em geral.

 

Comemoração

A terceira edição do evento Napoli Invita rendeu coberturas especiais de pizzas para a ocasião. Nas duas primeiras semanas de agosto, os clientes poderão pedir os sabores na Napoli Centrale. Cada pizza pode custar de R$ 39 a R$ 49.

As colaborações surgiram com o objetivo de misturar experiências. “É uma brincadeira para eles. A gente troca figurinha, e o produto sai legal”, comenta Gil Guimarães. “Este ano, quisemos chamar estrelas da televisão”, completa.

Uma das opções, desenvolvida pelo chef Carlos Bertolazzi, mistura pastrami de pato acompanhado de alho negro e radicchio. Outra pedida pode ser a pizza de camarões na manteiga de garrafa, geleia de bocaiúva e queijo canastra, criada por Guga Rocha.

Pensada por Jimmy McManis, há, ainda, a redonda que mescla tomates confitados, queijo da colônia defumado e pesto de hortelã. No cardápio, também está a criação de Renato Carioni, composta por linguiça blumenau, ricota fresca de búfala, limão-siciliano e rúcula.

Por fim, o mix de Dalton Rangel, que escolheu os ingredientes queijo manchego, jamón e tomate giallo defumado. 

Últimas notícias