Do sertão à mesa: conheça quatro cafés da manhã nordestinos do DF

Dos saudosos de um bom cuscuz aos aficionados da tapioca, Brasília tem diversas opções para quem quer sentir o gostinho do Nordeste

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 29/03/2019 22:13

As raízes nordestinas de Brasília são inegáveis: entre imigrantes da região e os inúmeros descendentes daqueles que construíram a capital federal, o que não falta são influências dos nove estados que constituem a área. Se a cidade conta com incríveis casas de carne de sol e com os deliciosos acarajés da Feira da Torre de TV, um bom café da manhã não poderia faltar.

“Estou resgatando minhas origens, porque eu nasci no sertão da Bahia há 55 anos, dentro de um restaurante. Muitas pessoas de ascendência nordestina têm vindo. Para mim, tem sido uma experiência muito positiva”, comenta Valdir Neves, proprietário do restaurante Fulô di Jirimum, na Vila Planalto.

A casa vai inaugurar, neste sábado (30/3), um bufê de café da manhã, com preço fixo de R$ 25 por pessoa, servido aos finais de semana. No cardápio, bolos de milho, aipim e de trigo, cuscuz, tapioca, polvilho frito, biscoito cozido e assado, banana cozida, ovo frito, canjica, curau, sucos de laranja e de melancia, café e leite. “O prato que mais me lembra a infância é o bolinho de polvilho frito: minha mãe faz até hoje. É bem calórico, mas me dá muito prazer de comer e de servir”, lembra Valdir.

A saudade da infância inspirou o jovem João Gabriel Amaral a inaugurar seu Café e um Chêro. Nascido em Brasília, o descendente de maranhenses de Alto Parnaíba trabalhava em um bar da cidade quando recebeu a notícia de que a mãe estava com câncer. “Eu pensei, e agora? Preciso trazê-la”, lembra. A mãe recebeu tratamento na capital federal e, em 2016, o câncer entrou em remissão. No ano seguinte, os dois inauguraram a casa.

O processo de elaborar o cardápio tem muito a ver com a história de João Gabriel, que saiu de casa aos 14 anos para tentar a carreira de jogador de futebol. “Eu sentia muita saudade de comida caseira. Quando abrimos o café, era uma época de gastronomia molecular, isso e aquilo, e minha comida é o contrário disso. Brasília tem muito nordestino, muita gente que quer comer um bom cuscuz e não sabe fazer em casa. Eu pensei, quer saber? Esse vai ser meu cardápio”, afirma.

O carro-chefe da casa é o desjejum favorito de João Gabriel, o pão com carne de panela (R$ 13). Ele faz parte de uma das sugestões de dona Alba, a mãe: a Combinação Perfeita vem com o lanche acompanhado por um suco de laranja e um bolo de banana (R$ 26). O cuscuz vem em seis variações cujos preços oscilam entre R$ 7 e R$ 15. As tapiocas custam entre R$ 6 e R$ 17: segundo João, a clientela adora pedir a invertida, com crostinha de queijo.

“O bolo é uma delícia, mas com um cafezinho…” – a clientela do Bolos do Flávio pediu, ele atendeu. O Café do Flávio foi inaugurado em setembro de 2018 ao lado da fábrica matriz em Águas Claras. “Nosso público é morador do bairro, muitas vezes eles nem vêm de carro. Contam que acordam de manhã com o cheiro do bolo assando. Eles levantam bem, não é? O café ainda está se tornando conhecido, ainda não temos o grupo de frequentadores como é o caso do bolo”, comenta a gerente da casa, Josie Pontes.

A clientela – muitos nordestinos e ascendentes de imigrantes da região – vai não só pelos bolos típicos da casa, mas também pelos quitutes disponíveis no cardápio. O pastel de açúcar, receita tradicional que leva carne desfiada no recheio e massa polvilhada com açúcar de confeiteiro, é um dos carros-chefe do estabelecimento: a unidade custa R$ 1,50 e a porção com seis unidades sai a R$ 8. Outra delícia muito procurada pelos clientes é o bolo de noiva, cuja fatia custa R$ 14.

O Lago Sul também tem uma opção de café da manhã nordestino: no Gilberto Salomão está o Dona Chica Café, fundado por dois irmãos, duas irmãs e o marido de uma delas. Os cinco criadores da marca são pernambucanos e elaboraram um cardápio com delícias nordestinas. A novidade da casa é a porção de dadinhos de tapioca com melaço, que custa R$ 14,90. Por R$ 3, o cliente ainda pode ganhar um adicional de doce de leite ou de goiabada.

A casa ainda tem um queijo coalho maçaricado com açúcar mascavo (R$ 11,50), variações de cuscuz e tapiocas doces e salgadas, que custam entre R$ 5,90 e R$ 15,90. A cartola aparece em duas versões: a tradicional (R$ 17,90) ou no recheio de crepe (R$ 19,90). O café também tem combos de café da manhã, com opções com cuscuz e tapioca: as refeições custam entre R$ 19,90 e R$ 22,90.

Café do Flávio
Avenida das Araucárias, 1395. De segunda a sábado, das 8h às 20h

Café e um Chêro
109 Norte, Bloco C, Loja 37.
107 Sul, Bloco C, Loja 2. De segunda a sábado, das 8h às 21h

Dona Chica Café
SHIS QI 5, Shopping Gilberto Salomão. Diariamente, das 8h às 20h

Fulô di Jirimum
Rua 1, Lote 4, Acampamento DFL, Vila Planalto (próximo ao restaurante Figueira da Vila). Café da manhã aos sábados e domingos, das 8h às 10h. Telefone: 3081-0563

Últimas notícias