*
 

A passagem da Seleção Brasileira por Sochi chegou ao fim nesta quinta-feira (5/7). Definida como “quartel-general” da equipe durante a Copa do Mundo, a cidade localizada na costa do Mar Negro recebeu os jogadores convocados por Tite desde as primeiras horas de 10 de junho em um ambiente mais aberto do que o costumeiro para o período de disputa da principal competição do futebol.

Em Sochi, a Seleção Brasileira ficou hospedada em um luxuoso hotel, o Swissôtel Resort. Mas não houve clausura, com a presença constante de familiares e amigos no local – eles ficaram hospedados em um hotel próximo – e também nos treinamentos da Seleção, com um dos setores do estádio onde a equipe trabalhava ficando sempre reservada aos visitantes.

Antes da despedida de Sochi, Edu Gaspar, o coordenador de seleções da CBF, fez um balanço positivo da passagem da Seleção Brasileira pela cidade. Na sua opinião, os trabalhos seguiram o planejamento realizado por ele, Tite e seus auxiliares, além de avaliar que a estratégia de permitir um contato maior entre os jogadores e as famílias funcionou bem e trouxe mais tranquilidade ao elenco.

“Tudo que imaginamos aconteceu como esperávamos, nessa grande estrutura para nós e os familiares: a ideia de transformar a suíte presidencial em fisioterapia, a outra em local para refeição, a academia, o nosso campo, o bem-estar, que era uma grande preocupação. Ficamos feliz por termos aproveitado e trabalhamos da forma como esperávamos. E também demos espaço para o jogador ter bem-estar em um clima de muita pressão”, afirmou, em entrevista à CBF TV.

O volante Fernandinho também assegurou satisfação com o período em que a Seleção passou em Sochi, também destacando o clima familiar que os trabalhos tiveram. “Muito importante ter um campo ao lado do hotel. Tivemos um contato maior com a família. Isso dá uma força maior para chegarmos bem aos jogos”, declarou.

O time decidiu se concentrar em Sochi para a Copa do Mundo antes do sorteio dos grupos da competição, que determinou que a equipe não disputaria nenhum jogo na cidade. Ainda assim, a definição foi mantida, com a equipe utilizando a estrutura do complexo do estádio Slava Metreveli na sua preparação, tendo realizado um trabalho aberto ao público no local.

Como não atuou em Sochi – os jogos da fase de grupos foram em Rostov, São Petersburgo e Moscou, depois indo para Samara nas oitavas de final -, a Seleção precisou enfrentar longas viagens para seus compromissos, pois a cidade está localizada no sul da Rússia.

Agora, então, a Seleção seguiu para Kazan, onde vai treinar nesta quinta, na véspera do duelo com a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Caso avance, seguirá para São Petersburgo, palco de uma das semifinais do torneio na Rússia.