Com golaço, Palmeiras bate o Athletico-PR e conquista Recopa

Após dificuldades para bater a defesa do Furacão, Verdão contou com categoria de Zé Rafael em cobrança de falta; Danilo fechou a fatura

atualizado 03/03/2022 0:26

Alexandre Schneider/Getty Images

Mesmo melhor durante praticamente os 90 minutos, o Palmeiras, no 1º tempo, teve dificuldade para superar o Athletico-PR, que entrou fechado para decidir o título da Recopa Sul-Americana nesta quarta-feira (2/3), no Allianz Parque. A dificuldade, no entanto, foi superada graças à categoria de Zé Rafael, que no começo 2º tempo, cobrou falta precisa. Aos 43, Danilo ampliou após bela jogada de Atuesta.

A

O título dá moral ao Palmeiras após a derrota na competição do ano passado, para o Defensa y Justicia nos pênaltis e após ter sucumbido para o Chelsea no Mundial de Clubes em fevereiro deste ano.

O jogo

Melhor durante praticamente toda a etapa inicial, o Palmeiras não conseguiu superar a sua superioridade em gols. Mérito da defesa do Athletico-PR, bem fechada, que obrigou o Verdão a abusar dos cruzamentos, facilitando o trabalho dos comandados de Alberto Valentim.

2º tempo

Se com a bola rolando estava difícil, o jeito foi apelar para a bola parada. Logo aos 2 minutos, Zé Rafael foi derrubado próximo da grande área. O próprio meia foi para a cobrança e, com muita categoria, colocou a bola por cima da barreira e no fundo da meta de Santos, para abrir o placar.

Um dos destaques da partida, Zé Rafael ainda teve duas boas oportunidades de ampliar o placar logo depois de seu golaço de falta. Na primeira, após bate-rebate dentro da área, bateu forte demais e isolou. Na segunda, após bela roubada de bola de Wesley, o Palmeiras se viu em um ótimo contra-ataque e com muito campo para explorar. No entanto, o camisa 8 nem tocou nem finalizou e desperdiçou.

A vitória, que parecia bem encaminhada, ganhou contornos de comemoração aos 43 minutos. Após mais uma bobeada do Furacão em seu próprio campo de defesa, Atuesta roubou a bola, avançou e encontrou Danilo, centralizado dentro da grande área. O colombiano tocou e o meia bateu, certeiro, no canto.

Nas efusivas comemorações após o gol, o técnico Abel Ferreira recebeu o cartão vermelho, junto de um membro da comissão técnica do Furacão.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias