Radicada em Brasília, autora estreia com suspense que se passa na capital

Goiana e criada no Entorno de Brasília, Fabiane Guimarães lança seu primeiro livro, Apague a Luz Se For Chorar, no próximo dia 12

atualizado 31/01/2021 6:08

Divulgação/Companhia das Letras

A leitura e a escrita são paixões que acompanham muitas pessoas desde os primeiros anos de vida e assim não foi diferente com a goiana radicada em Brasília, Fabiane Guimarães. Aos 29 anos, a jornalista estreia no mercado literário com seu primeiro livro: o suspense Apague a Luz Se For Chorar.

“Acho que eu fui escritora antes de ser jornalista. Eu gosto de literatura desde que aprendi a ler e escrever. Então, desde criança, escrevo contos, escrevo histórias e por uma questão da vida acabei no jornalismo, mas nunca perdi de vista a literatura”, disse Fabiane, em entrevista ao Metrópoles.

Com diversos contos publicados em revistas semanais e autora da novela Pequenas Esposas, publicada de forma seriada pela Revista AzMina, Fabiane conta que o livro surgiu da vontade de narrar uma história que se passasse em Brasília e região.

“Sempre foi uma questão minha. Eu gosto muito de literatura brasileira, mas a maioria dos livros que li se passa no Rio de Janeiro e em São Paulo e eu meio que não me identificava muito. Porque quando a gente escreve, queremos contar algo que se passa na nossa realidade”, explicou Fabiane.

Em 2015, a autora resolveu passar o desejo para o papel, assim nasceu Apague a Luz Se For Chorar. A trama do livro acompanha duas histórias de suspense, ambientadas em Brasília e Pirenópolis (GO) – um dos destinos favoritos do turista brasiliense. A obra busca refletir sobre o que significa ter uma família e o preço que estamos dispostos a pagar para mantê-la.

A história acompanha Cecília, uma veterinária que acabou de perder os pais e precisa ir até a cidade turística goiana para enterrar os corpos. No entanto, ela desconfia da possibilidade de um assassinato silencioso. Enquanto isso, o também veterinário João, pai solteiro de um menino com paralisia cerebral, trabalha em dois turnos para tentar bancar um tratamento experimental para o filho.

0

“Acho que o pessoal de Brasília vai se ver muito na história. Porque são dois personagens com identificação com a cidade. O João é veterinário no Centro de Zoonoses e eu tive essa ideia por conta de uma reportagem que fiz lá e eu fiquei assim: ‘Poxa, isso dá uma história’. É um lugar de Brasília que é muito interessante e pouca gente conhece”, apontou.

Para a autora, a obra apresenta uma capital diferente da mostrada em outros livros e produções. “Brasília quando aparece em obras de ficção aparece com coisas relacionadas ao Congresso Nacional, a política e eu quero mostrar uma outra Brasília, uma cidade pulsante como qualquer outra, assim como Pirenópolis (GO)”, ressaltou.

Apague a Luz Se For Chorar será lançado no próximo dia 12 de fevereiro, pela editora Alfaguara, selo da Companhia das Letras. A pré-venda on-line já está disponível. “Eu estou muito ansiosa, nem dormindo direito (risos). A expectativa é muito grande e já saindo de cara com uma grande editora é uma grande responsabilidade”, encerra.

Últimas notícias