metropoles.com

Crítica: filme de Bob Marley mostra impacto global do ícone do reggae

Cinebiografia de Bob Marley foca nos últimos anos da vida do astro, que para além de lenda do reggae, é reconhecido como embaixador da paz

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação/Paramount
Kingsley Ben-Adir e Lashana Lynch como Bob e Rita Marley - Metrópoles
1 de 1 Kingsley Ben-Adir e Lashana Lynch como Bob e Rita Marley - Metrópoles - Foto: Divulgação/Paramount

Figura imortalizada na história da música, Bob Marley é tema de mais uma produção audiovisual: Bob Marley – One Love estreia, nesta segunda-feira (12/2), no mês em que o músico completaria 79 anos.

Sob direção Reinaldo Marcus Green e produção-executiva de nomes de peso como Brad Pitt, o longa apresenta um recorte específico da vida do lendário músico, conhecido por sua influência global ao popularizar o reggae e por sua ousada defesa de questões sociais, políticas e espirituais, em prol da paz e da unidade.

Contrariando a narrativa cronológica convencional, o enredo começa com um evento marcante em 1976, quando Marley sofre um atentado após anunciar um show pela paz em meio a uma Jamaica assolada por tensões políticas e sociais, e segue até a descoberta do câncer e do lançamento de canções como Redemption Song, última faixa do nono álbum de Bob e do The Walers, Uprising.

0

Costurada a isso está uma narrativa que permite ao espectador compreender um pouco do contexto de vida de Marley, com uma série de flashbacks e recursos que revelam parte de sua jornada, do abandono paterno ao estrelato mundial.

Essa escolha narrativa revela-se perspicaz ao manter o ritmo e evitar os clichês de uma abordagem cansativa e superficial. Apesar disso, Bob Marley: One Love falha em transmitir com clareza a profundidade de sua mensagem para o público.

Kingsley Ben-Adir (Barbie) entrega uma performance sólida como Bob Marley, embora sua atuação, por vezes, pareça desconectada da aura única do músico jamaicano. Para além de interpretar Bob, o ator também o dubla nos números musicais.

Um ponto alto ocorre nos momentos em que Kingsley Ben-Adir e Lashana Lynch (A Mulher Rei), intérprete de Rita Marley, esposa de Marley, atuam juntos. As cenas adicionam uma camada emocional crucial à narrativa, destacando o papel essencial de Rita na ascensão do marido.

Também se destacam os raros momentos em que podemos ver o ator Aston Barrett Jr. intepretar o pai, o baixista Aston “Family Man” Barrett, que faleceu há poucos dias do lançamento do longa, devido a problemas de saúde.

As cenas que exploram o aspecto religioso de Marley, bem como sua relação com a fé rastafári e o uso da cannabis, também são tratadas com sensibilidade e com a devida proporção, enriquecendo a compreensão do espectador sobre a complexidade do músico.

Com aspectos positivos e negativos, Bob Marley: One Love oferece um retrato coeso do ícone da música reggae e uma síntese de sua influência global. Embora não alcance totalmente a grandeza de Marley, o filme ainda é uma experiência que vale a pena para os fãs do músico e que promete emocionar quem sempre quis ouvir a voz do astro com qualidade de cinema.

Avaliação: Bom

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comEntretenimento

Você quer ficar por dentro das notícias de entretenimento mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações