Carnaval: coletivo feminista Não é Não! lança campanha contra assédio

O movimento busca combater os abusos durante a folia

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 06/02/2019 20:05

O coletivo feminista Não é Não! propõe uma ação de conscientização inédita no Distrito Federal, em parceria com o Goiás, durante o Carnaval 2019. O coletivo lança sua segunda campanha de financiamento on-line com intuito de arrecadar o dinheiro necessário para a confecção de tatuagens temporárias com a mensagem “Não é Não!”. Os adereços serão distribuídos gratuitamente às mulheres em blocos, desfiles e estabelecimentos durante o feriado.

O movimento tem como objetivo dar visibilidade e combater o assédio sexual, dando às vítimas “a oportunidade de usar o próprio corpo como outdoor para espalhar a mensagem de respeito”. Além do Distrito Federal e Goiás, a campanha também acontece no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Pará e Paraná.

Somando as nove campanhas, já foram arrecadados mais de R$ 67.221, com um crescimento de 329% comparado ao valor alcançado no ano passado. O número foi atingido com a ajuda de mais de 1 mil pessoas. A previsão é que sejam produzidas mais de 100 mil tatuagens.

A campanha foi criada em janeiro de 2017 por um grupo de amigas, após um abuso sofrido por elas em um samba durante o pré-Carnaval. Depois do fato, 40 mulheres se uniram na arrecadação de R$ 2.784 em 48 horas, usados para a confecção de 4 mil tatuagens, posteriormente distribuídas pelas ruas do Rio de Janeiro.

Atualmente, mais de 100 blocos já declararam seu apoio. Cada colaborador da campanha pode, além das tatuagens, garantir outras recompensas – muitas vezes, produzidas por empresas locais gerenciadas por mulheres ou que têm como compromisso a responsabilidade social.

“A meta final do projeto é ele parar de existir, parar de ser necessário. Eu aguardo o ano em que a gente se reúna para conversar em novembro e cheguemos à conclusão de que não precisamos mais fazer”, afirma Luka Campo, uma das criadoras da campanha.

Últimas notícias