metropoles.com

Prisões em flagrante por embriaguez ao volante aumentam 46,2% este ano

Fiscalização intensifica ações e ainda há quem insista em dirigir após consumir bebidas alcoólicas. Maio foi o mês com maior índice de detenções: 254

atualizado

Compartilhar notícia

TONY WINSTON/AGÊNCIA BRASÍLIA
detran-900-840×577
1 de 1 detran-900-840×577 - Foto: TONY WINSTON/AGÊNCIA BRASÍLIA

Não adiantaram as campanhas educativas, não adiantou aumentar o valor da multa. O único recurso do brasiliense para combater os bêbados que insistem em pegar o volante é a fiscalização dos agentes de segurança.

O número de motoristas presos por dirigir sob influência de álcool no Distrito Federal aumentou 46,2% este ano. Dados do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) apontam que, de janeiro a novembro de 2014, 1.291 pessoas foram presas. Este ano, no mesmo período, o número saltou para 1.888.

Ainda de acordo com o Detran, o mês que apresentou o maior índice de prisões foi maio, com 254 detidos. A lei não permite nenhum índice de álcool para quem está dirigindo. Se o motorista for detectado com mais de 0,34 mg/l de ar expelido, pode responder criminalmente.

Ação no fim de semana
No domingo (6/12), a Fiscalização de Trânsito do Detran, com o apoio da Polícia Militar, realizou nova operação. Durante a blitz, os agentes autuaram 10 condutores que dirigiam após terem ingerido álcool.

O pesquisador da Universidade de Brasília (UnB) em políticas públicas de transporte Artur Morais explica que o aumento das prisões está diretamente relacionado à intensificação das fiscalizações.

“Acredito que o número de pessoas que bebem e dirigem continua o mesmo porque o brasileiro já se habituou a descumprir as leis de trânsito e não só com relação a bebida. Basta dar uma volta no centro de Brasília para ver a quantidade de carros estacionados de forma irregular”, disse. “É preciso insistir nas campanhas educativas e aplicar a lei de forma efetiva”, concluiu.

Lei Seca
O número de autuações da Lei Seca no Distrito Federal este ano já é maior do que o registrado em todo o ano passado. São 10.300 registros até 20 de setembro, contra 10.119 registrados em 2014. Para o Detran, o número é resultado do aumento da fiscalização. Mas também reflete a ausência de punições mais severas e imediatas para quem insiste em beber e dirigir.

20151207024341

Seria mais efetivo se a gente pudesse apreender os carros dos infratores logo após a autuação, por exemplo

Silvain Fonseca, diretor de Fiscalização do Detran

Por isso ele reconhece que, apesar de campanhas educativas e do fortalecimento na fiscalização, os registros de infrações continuam em alta.

Mortes
A Lei Seca completou, em 2015, sete anos em vigor. Segundo o Detran, desde então reduziu em 20,8% o número de mortes no trânsito. Na primeira versão, estabelecia que o motorista que cometesse a infração receberia multa se fosse flagrado no bafômetro com mais de 0,1 mg/l de ar, e incorreria em crime se o bafômetro apontasse mais de 0,34 g/l de ar.

Uma mudança na legislação em 2012 tornou o texto mais rigoroso. Qualquer quantidade de álcool no organismo passou a significar multa. A concentração de álcool que caracteriza crime continua sendo 0,34 mg/l de ar. O valor da multa aumentou para R$ 1.915,40, que é dobrado se o motorista for reincidente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações