Por falhas na gestão, Ibaneis exonera diretor do Hospital do Gama

Foi o quinto diretor de unidade de saúde pública dispensado pelo governador do DF, que cobra melhor atendimento à população

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 06/06/2019 12:43

O Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), exonerou o diretor do Hospital Regional do Gama (HRG), André Luiz Zamuner. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal desta quinta-feira (06/06/2019). O novo titular do cargo é Allan Wlisses de Moraes dos Dualibe Barros. Desde que assumiu o Palácio do Buriti, em janeiro deste ano, é o quinto diretor de hospital demitido pelo emedebista.

De acordo com o chefe do Executivo distrital, Zamuner teria falhado na administração da unidade. O motivo seria a superlotação do hospital. “Dificuldade nós vamos passar. Mas temos que tratar a nossa população com carinho. O diretor tem de estar à frente do hospital e conversar com as pessoas e tentar solucionar”, pontuou.

Segundo Ibaneis, o governo tem tentado melhorar as condições de trabalho dos servidores. Por isso, vai cobrar mais qualidade no atendimento à população. “Sempre que os diretores deixarem de ter carinho com a comunidade, porque o nosso objetivo é tratar bem o povo, serão exonerados. Não vou premiar aqueles que não querem cuidar do meu povo”, afirmou.

Em nota, a Secretaria de Saúde complementou a informação com a justificativa de que Zamuner não se enquadrava nos princípios do governo. “A função de diretor de hospital é cargo de confiança. A Saúde está, gradativamente, ajustando os gestores à filosofia de trabalho da atual gestão”.

DODF/Reprodução

 

Em maio deste ano, o pronto-socorro do Hospital do Gama precisou restringir o atendimento por conta de superlotação. A ala emergencial tem apenas 39 leitos, mas chegou a receber 101 pacientes.

A Sala Vermelha, que recebe pessoas em estado grave, tem quatro leitos e duas macas para reanimação. Na época, nove pacientes foram internados no local. Um dos profissionais que trabalha no hospital flagrou duas pessoas dividindo a mesma maca. O vídeo circulou nas redes sociais.

Outras exonerações

No mês passado, o governador exonerou toda a diretoria do Hospital Regional de Sobradinho (HRS), após Beatriz Viana da Silva, 19 anos, morrer devido a uma parada cardiorrespiratória. A família acusa a rede pública de Saúde de negar atendimento à jovem e a Polícia Civil investiga o caso.

O responsável pelo Hospital Regional de Brazlândia (HRBz) também acabou exonerado recentemente. Valterdes Silva foi demitido após um sargento da Polícia Militar filmar profissionais de saúde descansando em uma sala de TV diante de um pronto-socorro lotado.

 

Em março, o então diretor do Hospital Regional na Asa Norte (Hran), Gustavo Bernardes, e o superintendente da Regional de Saúde Central, Adriano Ibiapina, perderam os cargos. A decisão foi motivada por denúncias de que haveria um boicote por parte de servidores do hospital: mesmo tendo leitos, pacientes ficavam sem atendimento na unidade.

No mesmo mês, a exoneração do gestor do Hospital Regional de Santa Maria, Igor Silveira Dourado, foi publicada no Diário Oficial do DF.

Contratação no Iges

A exoneração do diretor do HRG foi anunciada pelo governador nesta quinta-feira (06/06/2019), durante anúncio de contratação de novos profissionais para o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), responsável pela gestão de seis UPAs e dos hospitais de Base e de Santa Maria.

Nessa semana, serão contratados 468 profissionais para UPAs, entre médicos, assistentes sociais, técnicos de enfermagem e enfermeiros. Além deles, serão integrados mais 151 médicos, técnicos de enfermagem e enfermeiros no Hospital Regional de Santa Maria.

Deste total, 100 foram contratados nesta quinta. Os demais serão admitidos até dia 10 de junho. Até o final de julho, o Iges espera reforçar o quadro com 2420 profissionais.