Da alegria ao medo: Raparigueiros e Baratona têm facadas e pancadaria

Festa nos blocos, que este ano se reuniram no Eixo Monumental, foi manchada por confusões. Também houve roubos e PMs feridos

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 04/03/2019 12:03

Bastou anoitecer neste domingo (3/3) para a folia nos blocos Raparigueiros e Baratona – este ano, realizados no Eixo Monumental em vez de no Eixão – dar lugar ao medo. Ao menos 12 pessoas foram esfaqueadas, segundo a Polícia Militar (PMDF). De acordo com o Corpo de Bombeiros (CBMDF), houve outras quatro vítimas feridas com “instrumentos perfurocortantes”.

Além disso, um PM teve a perna cortada por faca ao prender um ladrão de celulares e outro militar foi ferido no braço ao receber uma garrafada. A agressão ocorreu no momento em que um bandido que roubava celulares foi detido.

Três seguranças mulheres da empresa Grifo foram agredidas por um homem. O suspeito teria sido contido e espancado pelos seguranças masculinos da festa. A PM chegou e encontrou o acusado aparentemente desacordado.

No caso das 12 facadas, a corporação acredita que um mesmo suspeito é o autor do caso, pois o modus operandi foi o mesmo: as vítimas eram homens, nenhuma foi roubada e não houve conflito antes dos golpes.

Também foram registradas brigas e, em alguns casos, a Polícia Militar precisou intervir com spray de pimenta para dispersar o tumulto. De acordo com a organização do evento, por volta das 20h havia 80 mil pessoas no bloco, que se juntou ao Baratona no Eixo Monumental.

A PM que os dois blocos reuniram mais de 100 mil foliões. Os bombeiros também informaram que foram registrados, até as 21h, 17 casos de coma alcoólico entre foliões.

Michael Melo/Metrópoles
Briga no Raparigueiros na noite deste domingo (3/3)

 

À noite, o Metrópoles acompanhava a movimentação de cima do trio elétrico do Raparigueiros. Quando Jean Costa, um dos organizadores do bloco, leu a reportagem que noticiava as confusões no evento, ameaçou a equipe do portal e disse que, se o fotógrafo não parasse de registrar imagens das brigas, acionaria a segurança para retirar os jornalistas do trio. Como a condição não foi aceita, os profissionais foram expulsos.

Mais cedo, várias barreiras da Polícia Militar foram montadas entre a Rodoviária do Plano Piloto e o estádio. Pessoas que passavam pelo local eram revistadas para se verificar que não portavam armas e drogas. Ao longo do dia, a corporação apreendeu diversas armas no Distrito Federal, incluindo um machado.

Veja o vídeo de uma das vítimas sendo atendida:

 

O Raparigueiros é conhecido por ser um dos blocos mais “tensos” do DF, com registro de muitas brigas, confusões e assaltos todos os anos. Em 2017, por exemplo, foliões também foram esfaqueados.

Até as 18h40, já oito pessoas tiveram de procurar atendimento no posto médico devido ao abuso de bebidas alcoólicas. Uma delas foi levada por brigadistas em uma cadeira de rodas. Outra estava sem condições de se manter em pé e foi socorrida pelos bombeiros: precisou ser levada de ambulância para um hospital.

Chuva
Mais cedo, o Eixo Monumental ficou tomado de foliões que desembarcaram na Rodoviária do Plano Piloto e terminaram o caminho a pé. A chuva forte, que atrapalhou a festa no sábado (2), caiu de forma mais moderada no início da tarde deste domingo (3). Apesar de encoberto, o tempo no início da noite estava ameno.

Veja fotos do bloco Raparigueiros:

 

Balanço
A Polícia Militar destacou cerca de 1,7 mil PMs para todos os eventos de Carnaval deste domingo (3/3) no Distrito Federal. Os blocos Raparigueiros e Baratona estavam sendo monitorados pelo Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), que coordena as operações das forças de segurança. O Corpo de Bombeiros atua com 109 militares.

A PMDF preparou um esquema especial para os eventos que ocorrem no Eixo Monumental, com o emprego de 830 policiais. Durante revistas pessoais realizadas nos foliões no início da tarde, houve quatro apreensões de drogas e três de armas brancas (facas e canivetes). Os detidos foram encaminhados para a Cidade da Polícia, instalada ao lado da Torre de TV, para registro de termos circunstanciados.

A Polícia Civil do Distrito Federal registrou, até o fim da tarde, duas ocorrências de lesão corporal relacionadas ao Carnaval. Os crimes ocorreram no Parque da Cidade e foram registrados na 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). Como reforço às áreas dos blocos que devem mobilizar um grande número de foliões, a corporação reforçou o efetivo da 5ª Delegacia de Polícia e instalou, nas proximidades da Torre de TV, a Delegacia Móvel, para facilitar os registros de ocorrências.

Últimas notícias