Ibaneis: “Rollemberg pedalou em R$ 1,1 bi nas folhas de pagamento”

O governador do DF afirmou que o rombo nas contas é muito maior do que pensava e acusou o antecessor de deixar caixa problemático

Igo Estrela / MetrópolesIgo Estrela / Metrópoles

atualizado 11/01/2019 22:15

O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou, na tarde desta sexta-feira (11/1), que o antecessor, Rodrigo Rollemberg (PSB), deixou um rombo bilionário nas contas para 2019. Durante lançamento do programa SOS Segurança, o emedebista ressaltou não se sentir impedido de trabalhar, mas a situação é pior do que esperava. “Ele pedalou em R$ 1,1 bilhão somente se contabilizarmos as folhas de pagamento dos servidores públicos”, acusou Ibaneis.

O conceito de pedalada consiste em comprometer a receita de um ano com despesas do exercício anterior. “Rollemberg não deixou dinheiro para a folha de pagamento de dezembro. Ela foi paga com recursos deste ano”, acrescentou o secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal, André Clemente.

Segundo Clemente, o governo aguarda o balanço do rombo total para prever crescimento, investimentos, dar previsões da paridade salarial da Polícia Civil e reajuste dos servidores, entre outras questões. Os dados ficam prontos na próxima semana. “Já esperávamos um valor muito alto [de rombo], porque sabíamos que havia despesas não computadas no orçamento”, completou o chefe da pasta.

“Estou aqui para trabalhar”
Ibaneis endossa as palavras do secretário. “O rombo é muito maior. Será divulgado semana que vem, mas isso não nos impede de trabalhar. Eu sempre disse que não estou aqui para cuidar de rombos passados, mas para resolver problemas do governo. Os problemas não são do governo passado, mas sim nossos”, disse.

“Já determinamos o corte de 30% dos comissionados e a redução de 10% de todos os contratos do DF, que é uma redução de R$ 2 bilhões. Temos contratos da ordem de R$ 16 bilhões”, contabiliza Ibaneis.

O governador disse ainda ter determinado ao secretário de Fazenda que faça uma redução de 10% nesses contratos, a começar pelo de automóveis. “Temos no DF um contrato de R$ 500 milhões com locação de veículos.”

Outro lado
Por meio de nota, o ex-secretário de Fazenda do governo Rollemberg, Wilson de Paula, afirmou que “o governador Ibaneis deve descer do palanque, fazer um curso sobre orçamento e começar a governar. Aí ele vai aprender que pedalada seria se usássemos o orçamento de janeiro de 2019 para pagar salários de dezembro, como era feito até 2014. Cabe uma pergunta: como pagaram os salários dias 2 e 7 com recursos de janeiro? Só foram três dias úteis”.

Últimas notícias