Ibaneis quer aprovar, em 2018, mudança na escolha de administradores

Ao Metrópoles, Ibaneis contou que está negociando com os integrantes da CLDF inclusão da participação popular no processo

Michael MeloMichael Melo

atualizado 23/11/2018 22:42

O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), articula a aprovação, ainda neste ano, de um projeto de lei (PL) para incluir a participação popular na escolha dos administradores regionais. Nesta terça-feira (27/11), o futuro chefe do Executivo local se encontrará com os deputados distritais para apresentar a proposta.

Ao Metrópoles, Ibaneis contou que está negociando com os integrantes da Câmara Legislativa (CLDF) a votação do PL. “Se eles entenderem que querem fazer alguns ajustes, vamos fazer para votar nesta legislatura e, na próxima, podermos implementar o cronograma”, explicou.

Após anunciar ao menos 34 nomes para integrar o Governo do Distrito Federal (GDF) a partir de 2019, Ibaneis pontuou que irá se dedicar, nos próximos dias, às administrações regionais. Um estudo que mostra a necessidade de pessoal e as carências de cada uma foi feito a pedido do emedebista.

Ibaneis revelou ter recebido indicações políticas e da comunidade para os próximos administradores interinos. “Tenho quase todos os nomes. Vou olhar os currículos e ver quem realmente tem condições de atender”, afirmou. Porém, o emedebista ressaltou que irá anunciar quem são os futuros gestores apenas em 1º de janeiro de 2019.

Além da escolha dos administradores regionais com participação popular, Ibaneis quer pôr em pauta junto aos distritais as prioridades da futura gestão, como questões orçamentárias, além da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos).

Projeto aprovado e vetado
Em dezembro de 2017, os deputados distritais chegaram a aprovar projeto de lei que prevê eleições para administradores regionais. A participação popular no processo de escolha seria um instrumento para evitar o esquema usual de troca de cargos nos órgãos para barganha política. Essa era uma promessa de campanha de Rodrigo Rollemberg (PSB), mas o PL nº 915/2016, que teve o aval dos parlamentares, era de autoria do deputado Chico Vigilante (PT).

O texto estabelece que qualquer cidadão inscrito em seção eleitoral da região administrativa respectiva poderá participar do pleito. “Com a participação popular na escolha dos administradores, acredito que terá fim uma das práticas mais antigas existentes no Distrito Federal, que é o loteamento”, afirmou.

No entanto, Rollemberg vetou o projeto de lei, e a canetada foi mantida pela CLDF: em abril, a base do governador evitou a derrubada do veto em plenário. E o assunto ficou engavetado na Casa.

Últimas notícias