PCDF retoma licitação para compra de 112 carros por R$ 10 milhões

Com a volta gradual das atividades normais, órgãos públicos também retornam com planos previstos para 2020

atualizado 05/06/2020 13:46

Enquanto a população do Distrito Federal retoma, aos poucos, as atividades, após as restrições devidas à pandemia do novo coronavírus, os órgãos públicos, ainda com parte dos servidores em regime de teletrabalho, precisam respeitar calendários de contratações e compras definidas no orçamento de 2020.

No Diário Oficial (DODF) desta sexta-feira (05/06), a Polícia Civil (PCDF) retoma a licitação para compra de 112 carros sedã descaracterizados, que já tinha ficado suspensa após pedidos de alterações do edital. As características dos veículos são minuciosamente descritas, e a montadora vencedora será a que oferecer o menor preço. O valor total estimado supera R$ 10 milhões.

A corporação diz ser necessário proceder regularmente à substituição de parte da frota que se encontra obsoleta, considerando que a vida útil ideal para um veículo empregado na atividade policial é de cinco anos devido ao uso extremo, por estar em atividade 24 horas nas mais diversas condições de uso.

O órgão também frisa que a renovação permite a aquisição de veículos mais modernos, que ofereçam inovações tecnológicas, primordialmente no item segurança aos seus ocupantes, resistência, robustez e custos menores tanto na manutenção quanto no consumo de combustível.

Grande parte destes novos veículos, que deverão ser entregues no prazo de 120 dias após a realização do pregão eletrônico em 25 de junho, vai equipar três delegacias, todas no Plano Piloto: a 1ª DP (Asa Sul), a 2ª DP (Asa Norte) e a 5ª DP (Zona Central).

Servidores de rede

Outra licitação também lançada nesta sexta-feira (05/06) pela Polícia Civil do Distrito Federal procura fornecedor de oito servidores de rede, do tipo rack, com 60 meses de garantia, suporte técnico na modalidade on-site e repasse de conhecimento. O prazo vai até 19 de junho e o valor estimado é de cerca de R$ 3,5 milhões.

O pedido é da Divisão de Tecnologia (Ditec). O órgão é responsável pelo processamento das ocorrências e inquéritos policiais, mandados de prisão, alvarás de soltura, registros de identificação civil e criminal, além da automação de mais de cem unidades policiais e a salvaguarda de informações relevantes e sigilosas que devem ser protegidas.

A Seção de Redes de Dados e Teleprocessamento avalia que há de se investir para se manter o parque tecnológico dessas áreas. O setor ainda necessita de melhoramentos e passa pela aquisição de servidores de rede para o ambiente de virtualização da PCDF.

Isso propiciará, eentre outras melhorias, o aumento do processamento, a redução do consumo energético e a possibilidade de atualização do software de virtualização VMware para a sua versão mais recente.

0

Últimas notícias