Após privatização, queixas sobre falta de energia em Brasília sobem 40%

Quedas de energia elétrica causaram diversos transtornos a moradores da capital federal neste ano

atualizado 08/10/2021 11:25

Reclamações de falta de energia elétrica aumentaram no Distrito Federal após a privatização da companhia que distribui o serviço a moradores da capital. A Neoenergia assumiu o fornecimento de energia em Brasília em março deste ano. Desde então, até setembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) recebeu 385 reclamações por falta de energia no Distrito Federal. Entre março e setembro de 2020, foram 275.

Isso representa um aumento de 40% neste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

No final do mês de setembro, a Neoenergia apresentou um plano de ações para o período chuvoso de 2021 e 2022, com ações que envolvem inspeção, manutenção, melhorias e instalação de tecnologias na rede elétrica na capital do país para reduzir o volume de interrupções ao cliente.

Apesar disso, com a volta da chuva neste período do ano, várias regiões do Distrito Federal registraram falta de energia elétrica nos últimos dias do mês de setembro.

 

0

Em agosto, a quadra SQN 216 ficou 20 horas sem energia por “defeito estrutural na rede”. Na ocasião, os moradores da Asa Norte tiveram prejuízos com alimentos estragando na geladeira e problemas para seguir no teletrabalho. Uma moradora teve uma televisão queimada.

O que diz a Neoenergia
Questionada sobre o aumento das reclamações desde que assumiu o trabalho de levar luz aos morador do Distrito Federal, a Neoenergia Distribuição Brasília afirmou que, ao contrário do que informou a Aneel, em 2021 registrou redução de 16% nas reclamações em comparação com 2020. No entanto, não explicou o cálculo que faz o índice ser tão diferente dos repassados pela Agência Nacional de Energia Elétrica.
“A Aneel mede a frequência de reclamações procedentes nas concessionárias de energia do país através do indicador denominado de FER (frequência de reclamações). Informamos que, em 2021, registramos uma redução de 16% nesse indicador, se comparado a 2020″, disse a empresa.
A companhia disse ainda que todas as reclamações são repassadas para as equipes operacionais e completou que a empresa reforçou os canais de atendimento aos clientes, ampliando em 65% a disponibilidade do nosso teleatendimento.
“Essa ação foi responsável pela redução de 80% do volume de chamados abandonados e também pela redução em 5 vezes no volume de chamadas ocupadas na central de teleatendimento. Também foram implementados novos canais de atendimento 24h, como o atendimento nas redes sociais e via WhatsApp”, disse a Neoenergia.

Últimas notícias