Abbraccio pede desculpas a motoboy destratado e diz que apoia protesto

Nesta terça, um grupo de entregadores estendeu faixas exigindo respeito, além de mudanças no relacionamento com os restaurantes

atualizado 20/07/2021 15:21

Protesto de motoboys em frente ao ParkshoppingGustavo Moreno/Especial Metrópoles

Após o protesto de entregadores de aplicativo, que promoveram um buzinaço em frente ao restaurante Abbraccio, no Parkshopping, na manhã desta terça-feira (20/7), o estabelecimento emitiu uma nova nota. No posicionamento, a empresa afirma que apoia “todo e qualquer tipo de manifestação responsável” e diz que procurou o motoboy destratado pelo sócio da franquia para se “desculpar pessoalmente”.

Elton dos Santos Silva, de 31 anos, diz que se sentiu humilhado durante o episódio ocorrido na tarde de sábado (17/7). Inicialmente, o entregador havia se identificado como Everton, irmão dele, mas diante da repercussão do caso, voltou atrás e corrigiu o nome.  Um vídeo registrou o momento da discussão e viralizou nas redes sociais.

Nesta terça, um grupo de motoboys estendeu faixas exigindo respeito, além de mudanças no relacionamento dos entregadores com restaurantes.

Veja vídeo do protesto:

O organizador do ato desta terça, Abel Santos, 29 anos, é morador do Recanto das Emas e trabalha como motoboy. Ele diz que a manifestação de hoje pede respeito a toda a categoria. “Ele [motociclista destratado por sócio da Abbraccio] não foi o primeiro e não será o último a passar por situações assim”, afirmou.

“A categoria inteira se revoltou com o caso dele, porque nós temos uma lei regulamentada, desde novembro do ano passado, pedindo os pontos de apoio. Ele nada mais estava fazendo do que carregando o celular. E é por isso que estamos lutando. Para ter um espaço não só de carregar o celular; mas de comer, porque muitos de nós temos que comer no estacionamento; pelo banheiro, porque quando a gente entra com a bag dentro do shopping, qual é a primeira coisa que o segurança faz? O entregador é barrado”, disse Abel.

Na ocasião, ele também pediu uma posição mais firme de aplicativos em relação a casos como o de Elton. “Nós queremos respeito.”

Na nota, o Abbraccio diz que o sócio flagrado em vídeo destratando o entregador foi afastado das funções, para “apurar todos os pontos e refazer o processo de orientação do trabalho com entregadores locais”. “Nada justifica o desalinhamento com nossos procedimentos e já iniciamos a reorientação de todo o time do restaurante em relação à nossa filosofia para que situações como esta não voltem a acontecer”, diz o texto.

Elton é casado e pai de três filhos. Ele está morando temporariamente na casa da cunhada, na Estrutural, enquanto espera receber a chave do apartamento que comprou em Valparaíso (GO). É com o dinheiro que ganha com as entregas que sustenta a família.

O entregador de aplicativo afirma que trabalha na categoria há quase dois anos e que precisa do emprego. “Eu dependo disso para sobreviver. Trabalho para o iFood, não tenho como escolher. O iFood vai mandar a rota para mim e eu vou ter que ir lá e fazer, cumprir o meu papel”, pontua.

Para ele, a classe de entregadores de aplicativo “é mal vista pela sociedade”. “Tem certos condomínios mesmo em que a gente é tratado como se fosse ladrão. Você só vai entrar se tem contatos. Tem que falar que é pai de família e está trabalhando. É constrangedor. A gente é muito mal visto, a verdade é essa.”

O Metrópoles procurou o iFood, que se pronunciou por meio de nota:

“O iFood não compactua com esse tipo de conduta e repudia qualquer ato de violência – física, moral, psicológica ou verbal -, de acordo com os valores presentes no Código de Ética e Conduta, que também se aplica aos parceiros. Assim que o iFood tomou conhecimento do caso, fez contato com seus parceiros, tanto para esclarecimentos e orientações do estabelecimento, como para apoio ao entregador.”

Veja imagens da manifestação:

0

Leia a nota do Abbraccio na íntegra:

“Primeiramente, registramos aqui que respeitamos todo e qualquer tipo de manifestação responsável. Pedimos desculpas mais uma vez e afirmamos que o que é retratado no vídeo não condiz com a nossa relação com os profissionais de entrega. Tentamos contato com o Éverton [Elton] para nos desculpar pessoalmente, ainda sem sucesso, mas reforçamos publicamente esse pedido de desculpas. O sócio do restaurante foi afastado para que possamos apurar todos os pontos e refazer o processo de orientação do trabalho com os entregadores locais. Estamos no Brasil há 23 anos e temos um relacionamento genuíno com as nossas pessoas e os fornecedores que trabalham conosco.

Nada justifica o desalinhamento com nossos procedimentos e já iniciamos a reorientação de todo o time do restaurante em relação à nossa filosofia para que situações como esta não voltem a acontecer.

Para nós, é muito importante reforçar que temos uma relação de respeito e profissionalismo com todos os motoboys responsáveis pela logística do nosso delivery e isso se reflete no dia a dia com o atendimento de milhares de pedidos todos os meses em todas as cidades onde estamos presentes.”

Últimas notícias