metropoles.com

Ginecologista justifica a Moraes pedido de retirada da tornozeleira

A ginecologista e obstetra Macielle Chaves enviou ofício a Alexandre de Moraes pedindo a retirada da tornozeleira de uma das suas pacientes

atualizado

Compartilhar notícia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal - Metrópoles
1 de 1 Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal - Metrópoles - Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

A ginecologista e obstetra Macielle Chaves pediu ao ministro Alexandre de Moraes que autorize a retirada da tornozeleira eletrônica da sua paciente Fabyana Pinheiro, ré no âmbito da ação penal envolvendo o 8 de Janeiro.

Em ofício de próprio punho e endereçado ao STF, a médica afirmou que sua paciente é gestante de alto risco e que dará à luz no início de junho. A retirada da tornozeleira, segundo Chaves, tem objetivo de garantir que não haverá interferência no monitoramento eletrônico durante o parto. Moraes é relator do inquérito e deverá deliberar sobre a questão nos próximos dias.

Escreveu a ginecologista, que atua em uma clínica no Tocantins: “Venho, através desta, solicitar a retirada da tornozeleira eletrônica da paciente acima citada próxima ao parto, uma vez que seu parto será cesariano devido à mesma ser uma gestante de alto risco. Parto programado para o início de junho/2024. Obs: A tornozeleira poderá interferir no seu monitoramento adequado. Grata pela compreensão”.

O requerimento protocolado pela defesa de Fabyana Pinheiro foi antecipado pelo repórter Mateus Salomão no Metrópoles nesta terça-feira (14/5).

0

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comPaulo Cappelli

Você quer ficar por dentro da coluna Paulo Cappelli e receber notificações em tempo real?