Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

“Comunicação e propósito andam juntos”, diz Erica Firmo, do LinkedIn

Em entrevista ao Metrópoles, head de comunicação da plataforma fala sobre como os valores das empresas devem nortear as ações de comunicação

atualizado 19/04/2021 18:27

Erica Firmo_LinkedIn

Com 740 milhões de usuários globais, sendo 47 milhões só no Brasil, o LinkedIn é hoje a maior plataforma profissional existente. O mercado brasileiro, por sua vez, é o quarto maior em usuários, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. Dados da eMarketer, empresa especializada em marketing digital, mídia e comércio com base em assinaturas, apontam que globalmente o LinkedIn atrairá US$ 1,77 bilhão em publicidade em 2021.

A pandemia também fortaleceu o engajamento na rede. De acordo com Erica Firmo, head de Comunicação do LinkedIn, a plataforma apresentou crescimento de 48% no número de conversas no último trimestre de 2020, em comparação com o ano anterior. O envio de mensagem também aumentou 30%.  “Mais do que um site de emprego, somos uma rede de oportunidades que permite aos profissionais alavancarem a carreira, fazerem networking, se atualizarem sobre o setor que trabalham, buscarem clientes e parceiros comerciais, construírem a imagem profissional e desenvolverem habilidades necessárias para o futuro do trabalho”, explica.

Em entrevista ao Metrópoles, ela diz que o profissional de hoje não está sendo avaliado apenas pela experiência ou certificados que tem, mas como ele comunica suas ideias e interage com o ambiente ao seu redor.

Como uma empresa como o LinkedIn trabalha a comunicação?
No LinkedIn, nossa comunicação é pensada com o usuário em primeiro lugar. A missão da empresa é conectar profissionais do mundo todo, tornando-os mais produtivos e bem-sucedidos.

Assim, nossa estratégia tem a ver com apresentar o LinkedIn como uma comunidade que abraça a todos os profissionais, trazendo assuntos que são essenciais para a carreira deles, como inclusão de minorias no mercado de trabalho, a responsabilidade das empresas na luta contra o assédio sexual, o estigma atrelado à situação de desemprego e a importância de se desenvolver novas habilidade para o futuro do trabalho, por exemplo.

Muitas pessoas ainda têm a percepção que o LinkedIn é para poucos. Por isso, um dos desafios da nossa equipe de comunicação é mostrar que somos uma plataforma democrática e oferecemos suporte a todos os profissionais que ali estão, sejam eles de uma grande indústria, pequenos empreendedores, estudantes ou profissionais que geralmente não são vistos na rede com frequência, como artistas.

Como fazer uma comunicação diferente, mais inovadora?
A primeira coisa que precisamos ter em mente é com quem estamos falando. Antes de ser inovadora, a mensagem precisa ser eficaz e chegar ao destino final, o que exige identificação, empatia e entendimento das necessidades e desejos do público.

A verdade é que não adianta eu ter um propósito se não conseguir comunicá-lo. Não dá para comunicar um propósito, se a empresa não o vive em sua cultura. É aqui que está a fortaleza do LinkedIn. Nossa comunicação é um reflexo dos nossos valores.

Em nosso time também buscamos trabalhar em parceria com vozes, referências inspiradoras e responsáveis, humanizando nosso conteúdo e aproveitando as tendências do mercado de trabalho do momento. Algo que funciona hoje não necessariamente funcionará amanhã, por isso, temos que estar sempre abertos a aprender e nos adaptarmos.

Aqui, nosso lema é “fazer menos coisas desde que sejam mais impactantes” ou seja, temos que pensar em otimizar nossos recursos para atingir de forma mais profunda e abrangente possível.

Qual é o perfil do produtor de conteúdo do Linkedin?

Hoje, os produtores de conteúdo do LinkedIn são aqueles que escrevem sobre assuntos atuais dentro de um contexto profissional, como tendências setoriais, inclusão e diversidade, finanças pessoais, desenvolvimento de novas habilidades, etc.

Apesar de não estarem restritos a estes grupos, alguns ótimos exemplos são os Top Voices, personalidades selecionadas todos os anos pelo nosso time de editores com base em fatores quantitativos e qualitativos, e os Top Influencers, profissionais que são referência em suas respectivas áreas, como a Luiza Trajano, Maurício de Souza e o Ricardo Amorim.

Percebemos que esses criadores dentro da rede possuem perfis diferentes e falam sobre os mais diversos temas, mas são sempre autênticos e trazem pontos de vista únicos e relevantes para as pessoas que os seguem. Não é sobre o número de seguidores, mas a qualidade do conteúdo que eles produzem.

Últimas notícias