Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Renan planeja indiciar Dominguetti no relatório final da CPI da Covid

Suposto vendedor de vacinas denunciou ter recebido pedido de propina em negociação para venda de 400 milhões de doses ao Ministério da Saúde

atualizado 30/09/2021 16:52

Dominguetti_CPI da CovidRafaela Felicciano/Metrópoles

O relator da CPI da Covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), planeja indiciar Luiz Paulo Dominguetti, cabo da Polícia Militar de Minas Gerais e suposto vendedor de vacinas, no relatório final da comissão.

Conforme apurou a coluna com auxiliares de Renan, Dominguetti deve ser indiciado por corrupção ativa. O crime consiste no ato de oferecer vantagem indevida a um funcionário público em troca de algum benefício.

Em depoimento à CPI, Dominguetti denunciou que o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias teria pedido propina para viabilizar a compra de 400 milhões de doses contra a Covid-19 que o PM tentou vender.

O pedido de propina, segundo relatou Dominguetti, teria sido feito em um jantar, em Brasília, no dia 25 de fevereiro deste ano. O vendedor de vacinas alegou ter desistido do negócio após a solicitação de propina.

Mensagens extraídas pela CPI do celular do cabo da PM mineira indicaram que o suposto vendedor de vacinas negociava com seus parceiros comissão para ele de US$ 0,25 por dose vendida.

O relatório final da CPI deve ser apresentado por Renan após 18 de outubro. O parecer precisa ser aprovado pela maioria da comissão para que seja enviado ao Ministério Público, que decidirá se denuncia ou não os indiciados.

Últimas notícias