Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Servidora pró-Direitos Humanos é eleita uma das 100 pessoas negras mais influentes do mundo

Clara Marinho é ativista sobre orçamento público relacionado a gênero e raça

atualizado 14/10/2021 14:33

Priscilla Castro

Uma servidora do Ministério da Economia foi incluída na lista de 2021 dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo com menos de 40 anos, ação da ONU para identificar pessoas que se destacam em vários campos de atuação.

Premiada na categoria “ativismo e humanitário”, Clara Marinho é baiana e atua como analista da carreira de planejamento e orçamento, além de ser ativista sobre orçamento público relacionado a gênero e raça.

Clara foi cotista e já trabalhou com políticas sociais e de direitos humanos. Também participou da implementação do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial e participou do Programa Marielle Franco, direcionado para acelerar a formação de lideranças femininas negras.

A lista, divulgada na semana passada, contou também com nomes como Gil do Vigor, Lázaro Ramos e Margareth Menezes.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna