Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Por que o general Heleno não prestou continência a Bolsonaro

Augusto Heleno participou da cerimônia de promoção de oficiais-generais com Bolsonaro

atualizado 02/12/2022 14:02

Clauber Cleber Caetano/PR

Chamou a atenção de leigos que assistiam ontem à cerimônia de promoção de oficiais-generais a postura de Augusto Heleno durante a execução do Hino Nacional. Heleno foi o único militar a não prestar continência para Jair Bolsonaro.

Não se tratou, necessariamente, de alguma insubordinação ou descompostura.

Oficiais da ativa são obrigados a prestar continência. Já os da reserva não são obrigados pelo regulamento, embora alguns façam. Foi o caso do general Luiz Eduardo Ramos, presente na cerimônia, e de Hamilton Mourão.

Heleno escolheu não prestar, e limitou-se à posição de respeito.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna