Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Condenado no mensalão, João Paulo Cunha quer voltar à Câmara pelo PT

Ex-presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha organizou uma plenária em que se colocou como pré-candidato na eleição deste ano

atualizado 15/01/2022 9:08

João Paulo Cunha, um dos condenados no mensalão, confraterniza com apoiador durante evento em que se colocou como pré-candidato à Câmara dos DeputadosReprodução/Facebook

Condenado a seis anos e quatro meses de prisão no escândalo do mensalão, o ex-deputado federal João Paulo Cunha quer voltar à Câmara como candidato do PT em São Paulo. João Paulo demonstrou o interesse ao discursar durante plenária que organizou em dezembro, na cidade de Osasco. O evento contou com saudações gravadas por Lula e pelo ex-prefeito Fernando Haddad.

João Paulo participou da formulação do Mensalão durante o período em que presidia a Câmara. Ele acabou preso em 2014, após ser considerado culpado pelos crimes de peculato e corrupção passiva. Em dezembro de 2015, João Paulo foi beneficiado pelo indulto natalino assinado pela então presidente, Dilma Rousseff, para presos em diversos estágios de cumprimento penal. A pena foi perdoada pelo STF em março de 2016.

Causou perplexidade no diretório estadual do PT o fato de João Paulo ter anunciado a plenária com um slogan que remetia a “amigos e companheiros de Lula e João Paulo”. Dirigentes paulistas também se incomodaram com o pedido de João Paulo para Lula enviar uma saudação para o evento.

Placas dispostas na plenária traziam a frase: “A esperança de um Brasil melhor com Lula e João Paulo”. Os petistas de São Paulo temem que o ex-deputado use a imagem de Lula para levar a candidatura adiante, o que provocaria desgastes ao projeto presidencial do partido.

Em 2012, quando Haddad concorria à Prefeitura de São Paulo, João Paulo foi pressionado pelo PT a desistir de uma candidatura em Osasco para não prejudicar as chances de vitória na capital paulista. Quando foi preso em 2014, João Paulo renunciou ao mandato de deputado federal.

A coluna tentou falar com João Paulo, mas ele não retornou os contatos. O espaço está aberto para manifestações.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna