Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Agora perseguido, Alexandre de Moraes votou a favor de Bolsonaro em caso de racismo

Ministro do STF deu o voto de desempate para não aceitar a denúncia da Procuradoria-Geral da República

atualizado 15/08/2021 11:52

Alexandre de Moraes Rosinei Coutinho/SCO/STF

Alvo de Jair Bolsonaro em diversas frentes, Alexandre de Moraes deu o voto de desempate para não aceitar a denúncia de racismo da Procuradoria-Geral da República (nos tempos em que havia PGR) contra o então deputado federal em 2018 por racismo.

Em setembro de 2018, a Primeira Turma do STF rejeitou, por maioria, 3 votos a 2, a denúncia de racismo contra Bolsonaro em razão de falas racistas numa palestra que fez em 2017 no Clube Hebraica do Rio de Janeiro.

Em 2017, no Hebraica, Bolsonaro disse que, se eleito presidente, não destinaria recursos para ONGs e que não teria “um centímetro demarcado” para reservas indígenas ou quilombolas.

E acrescentou:

“Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí. […] Eu fui num quilombo, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gastado com eles”.

Além de Alexandre, votaram a favor de Bolsonaro o então relator, Marco Aurélio Mello, e Luiz Fux. Luís Roberto Barroso e Rosa Weber votaram para receber a denúncia e abrir ação penal.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna